Conteúdo Dirigido

Empresas já perderam mais de R$139 bilhões sem a portabilidade da conta de luz

COMPARTILHE
316

Plataforma da Clarke Energia acompanha desperdício das empresas que não participam do Mercado Livre de Energia.

A Clarke Energia, startup do setor elétrico, criou o “Desperdiçômetro”, ferramenta que acompanha as perdas financeiras e ambientais geradas pelas empresas brasileiras por não fazerem parte do Mercado Livre de Energia. O lançamento da plataforma aconteceu em um evento na Câmara dos Deputados.

Até a publicação deste texto, o desperdício registrado no site, que é atualizado em tempo real, passava dos R$ 139,4 bilhões. Só no estado do Espírito Santo foram desperdiçados mais de R$ 3,5 bilhões, cerca de 2,5% do total do país.

O que é Mercado Livre de Energia

O Mercado Livre de Energia é um ambiente que possibilita que a compra de energia ocorra livremente, sem as amarras das distribuidoras locais. Também chamado de Ambiente de Contratação Livre (ACL), o modelo permite escolher preço, fornecedor, fonte e quantidade de energia comprada. Seus integrantes ficam livres da cobrança extra das bandeiras tarifárias.

Continua depois da publicidade

Atualmente, é preciso ter um consumo mensal de 500 kW para negociar nesse ambiente. Os demais consumidores, que não têm acesso à portabilidade da conta de luz, acabam perdendo dinheiro. 

Segundo a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), a tarifa de energia no mercado tradicional custa, em média, R$ 313/MWh. No Mercado Livre, esse valor é de R$ 177/MWh, o que corresponde a uma economia de 48% no preço da energia.

Desperdiçômetro

Utilizando a base da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que reúne dados desde 2003, a Clarke calculou o consumo em MWh das empresas, levando em conta as tarifas cobradas no decorrer desses 18 anos de Mercado Regulado. Esse valor foi comparado ao quanto essas companhias teriam pago caso estivessem no Mercado Livre para assim estimar o desperdício.

“Quando a gente fala de Mercado Livre, a gente fala de empoderamento, de o consumidor poder escolher a fonte de energia que ele quiser”, afirmou Pedro Rio, CEO da Clarke.

O lançamento da plataforma, que aconteceu durante um evento na Câmara dos Deputados em Brasília, contou com a participação do presidente executivo da Abraceel, Rodrigo Ferreira; do secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Christiano Vieira; do vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PSD); e dos deputados federais Felipe Rigoni (União), Fernando Coelho Filho (União), Paulo Ganime (Novo), Alexis Fonteyne (Novo) e Jaqueline Cassol (PP).

Na abertura do evento, ainda foram exibidos depoimentos de clientes e parceiros da Clarke Energia, incluindo o de Marcelo Altoé, diretor da MSG Stones, empresa do setor de rochas de Cachoeiro de Itapemirim. 

Portabilidade da conta de luz

A abertura do mercado de energia, a chamada portabilidade da conta de luz, está em discussão no Congresso Nacional através do projeto de lei 414/2021, conhecido como Novo Marco Regulatório do Setor Elétrico.

Em 2022, ele foi incluído na Agenda Legislativa Prioritária do Governo Federal para o ano. O tema chegou a ser citado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) na sessão de abertura do ano legislativo como prioridade de discussão.

A abertura do mercado de energia é uma realidade em diversos países do mundo. De acordo com um ranking da Abraceel, o Brasil está atrás de outros 54 países quando o assunto é a liberdade na compra de energia.

Legenda: 

Países em verde são os que estão à frente do Brasil na portabilidade da conta de luz. Dados: Abraceel

Caso o projeto de lei seja aprovado, o país avançaria drasticamente e passaria a ocupar o 4º lugar do ranking mundial.

Como a Clarke ajuda empresas a economizar em energia

A Clarke é um marketplace que conecta consumidores e fornecedores de eletricidade no Brasil. Seu público-alvo são empresas que possuem contas de luz acima de R$ 10 mil.

A startup oferece aos empresários a oportunidade de economizar até 30% na conta de luz sem precisar realizar nenhum tipo de investimento ou alterar padrões de consumo.

Para ajudar os interessados a vislumbrar sua economia, a Clarke disponibiliza em seu site um simulador onde é possível ter uma ideia dos ganhos financeiros e ambientais de migrar para o Mercado Livre de Energia.