Cooperativismo: um jeito diferente e colaborativo de fazer negócio

Nas cooperativas, membros têm participação ativa nas tomadas de decisão e nos resultados obtidos

COMPARTILHE
Cooperativismo
311

Empreender de forma colaborativa, unindo forças e compartilhando as decisões. Assim é o cooperativismo, um modelo de negócio que vem se destacando no mercado por indicadores cada vez mais positivos e por possuir um jeito diferente de atuar. Enquanto outras organizações têm como foco principal o lucro, as cooperativas vão além e trabalham para promover o desenvolvimento econômico alinhado ao bem-estar social, gerando impactos positivos para as comunidades onde estão inseridas.

De forma geral, as cooperativas são empreendimentos que entregam à sociedade produtos e serviços de alta qualidade, mas não param por aí. Elas têm a sua produção pautada na sustentabilidade, desenvolvem ações e projetos para melhorar a vida da sociedade e são norteadas por princípios e valores humanos. De forma geral, são essas características que fazem com que o movimento cooperativista ganhe visibilidade e reconhecimento.

Carlos André Santos de Oliveira, superintendente do Sistema OCB/ES

De acordo com Carlos André Santos de Oliveira, superintendente do Sistema OCB/ES – instituição que representa e defende o cooperativismo no estado –, esse modelo de organização se destaca justamente por dar protagonismo às pessoas. “Aqui, todo mundo trabalha em conjunto e tem participação, tanto no processo de tomada de decisão quanto nos resultados. É uma forma muito mais justa de distribuir renda que não olha apenas internamente, mas gera um impacto positivo para todos”, explica.

Esse modelo de organização baseado na cooperação possui uma longa história. Surgiu em 1844, em Rochdale, na Inglaterra, como uma forma encontrada por 28 trabalhadores de superar a crise provocada pela Revolução Industrial. Sem conseguir comprar o básico para sobreviver nos mercadinhos da região, o grupo se uniu para montar seu próprio armazém. A proposta era simples, mas engenhosa: comprar alimentos em grande quantidade para conseguir preços melhores. Tudo o que fosse adquirido seria dividido igualitariamente entre o grupo.

Continua depois da publicidade

A partir dessa primeira experiência, o cooperativismo foi conquistando novas pessoas e se espalhando pelo mundo. Atualmente, existem 4.868 cooperativas no Brasil, que contam com 17.121.076 cooperados e 455.095 empregados. No Espírito Santo, são 119 cooperativas registradas, somando mais de 500 mil cooperados e mais de 9 mil empregados. Em 2020, elas movimentaram R$ 6,6 bilhões e representaram 4,7% do Produto Interno Bruto (PIB) nominal capixaba.

Dr. Pedro Scarpi Melhorim, presidente do Sistema OCB/ES

Para o presidente do Sistema OCB/ES, Dr. Pedro Scarpi Melhorim, os números representam um reconhecimento cada vez maior da potência e das possibilidades desse modelo de negócio. “Nos últimos anos, a população tem procurado outras formas de fazer negócio. No cooperativismo, elas encontram um ambiente economicamente viável, socialmente responsável e ambientalmente sustentável. Por isso, nossos dados só crescem. Hoje, quase 40% da população do Espírito Santo está envolvida, diretamente ou indiretamente, com o nosso movimento”, disse.

ATUAÇÃO EM DIVERSOS MERCADOS

A forma única e humana de atuar vem aumentando não somente o número de pessoas conectadas ao cooperativismo, mas também os setores em que ele está presente. Atualmente o modelo de negócio é divido em sete ramos, que contemplam o Agropecuário, Consumo, Crédito, Infraestrutura, Saúde, Trabalho, Produção de Bens e Serviços e Transporte.

“Estamos presentes na vida das pessoas. Seja na hora de adquirir uma casa nova, promover educação de qualidade para seus filhos, cuidar da saúde ou se alimentar, o cooperativismo tem itens e soluções para a sociedade. Ele é um jeito diferente e colaborativo que pode ser aplicado a todas as realidades. Já ocupamos muitos espaços, mas ainda podemos crescer muito”, completou o superintendente do Sistema OCB/ES, Carlos André.

Quer saber mais sobre o cooperativismo no Espírito Santo? Então acesse www.ocbes.coop.br.

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.