VAMOS AUMENTAR A AUTOESTIMA, CACHOEIRENSES

COMPARTILHE
211

Não, não é uma coluna motivacional. Não estou aqui para te dar frases de
autoajuda nem nada disso. Venho falar sobre como podemos (e devemos)
melhorar como cidade e sociedade.
Iniciando no tema e pegando exemplos, sempre escuto comentários como:
“Cachoeiro, né?” quando algo de ruim acontece ou fecha. Por vezes, em meu
trabalho rotineiro, “nossa, mas Cachoeiro os imóveis são muito caros. Em ‘x’
lugar é muito mais barato”, comparando algo que não tem comparação
nenhuma. Em nenhum termo. Em nenhuma situação. Ou quando inaugura algo
“ih, vai fechar logo logo, sabe como é né?”.
Quando resolvi me casar, ouvi de muitas pessoas “vai para Vitória escolher seu
vestido”, “vai para Vitória escolher sua decoração”. Sabe qual foi a minha
decisão? Não. Não busquei nada fora de Cachoeiro. Inclusive, escolhi lojas
extremamente locais para tudo, inclusive para listas de presentes. Lojas de
bairros. Nada contra franquia, mas é que quis assim.
Afinal, vivo do mercado daqui. É aqui que as pessoas compram e vendem
imóvel, qual o motivo de eu fazer meu dinheiro circular lá fora? E não dentro da
minha cidade que me ajuda a ter meus ganhos.
Temos aqui pessoas e profissionais super antenados, competentes, que buscam
informações incessantemente para levar aos seus clientes. E isso é em qualquer
área. Médica, odontológica, móveis, comércio, roupas, a lista é infinita.
Se nós só incentivarmos nossos jovens que Vitória é bom, Rio é bom, São Paulo
é bom e dizer para que eles não fiquem por aqui, quando seremos nós,
Cachoeiro, bom?
A Prefeitura está fazendo uma linda homenagem para Luz Del Fuego em frente
ao Ciac, sabe o que eu ouvi? “Tanta coisa pra fazer e ir logo pintar muro”.
Quando aprenderemos a reconhecer que o que está sendo feito está muito
bom? Não estou dizendo para nos darmos por satisfeitos, mas reconhecer as
coisas boas faz parte do avanço.
Escutei um bom tempo falar da falta de entretenimento noturno dos meus
amigos e de mim mesma. Quando abre…. “mas lá da muita gente”, “mas lá é
muito caro…” e por aí vai.
Quando seremos cidadãos com autoestima? Ou, ao menos, ao invés de
reclamar da nossa cidade, vamos fazer algo por ela? O que você tem feito? O
que tem desenvolvido na sua rua? No seu bairro? Na sua região? Pense nisso.

Continua depois da publicidade