Um épico recheado de batalhas e romance

COMPARTILHE
89
Advertisement
Advertisement
  1. Colônias na América. 3º ano da luta entre Inglaterra e França pela posse do continente. Três homens, os últimos de um povo em extinção encontram-se na fronteira oeste do rio Hudson, EUA. Com esse enredo e roteiro baseado no livro homônimo de James Fenimore Cooper, o diretor Michael Mann rege com maestria o filme “O Último dos Moicanos” (The Last Of The Mohicans), uma história de guerra, desejos, vingança e puro romance.

O longa-metragem relata a luta de franceses e ingleses pelas terras da América do Norte utilizando como soldados os índios nativos, que muita das vezes, escalpelava seus adversários (arrancavam com facas o couro cabeludo ainda com os cabelos). Hawkeye (Daniel Day-Lewis) é um dos índios envolvidos na guerra. Mas o pior conflito desse homem se dá quando ele se apaixona pela filha de um oficial britânico, se tornando alvo do amor de Cora (Madeleine Stowe), após salvá-la com mais uma jovem de um ataque da tribo dos franceses.

Continua depois da publicidade

Tudo é sublime no filme, a fotografia te transporta para um cenário pacífico, mesmo com toda matança presente em muitas das cenas. Pode ser percebida desde o princípio, a harmonia que os personagens têm com a natureza, suas caças e moradias. Talvez, totalmente intencional, para amenizar a violência contida no longa. Venceu o Bafta daquele ano por melhor fotografia.

Outro item que não poderia de forma alguma ser deixado de lado é a trilha sonora. Assinada por Trevor Jones e Randy Eldeman, é o que deixa o filme mais intenso. A cada nota do violino, o sentimento da cena é transferido para o telespectador, que passa a viver junto aos personagens o momento em questão. Recebendo a indicação da categoria de melhor trilha sonora no Globo de Ouro e vencendo o Oscar a categoria de melhor som.

Uma saga sobre a guerra entre ingleses e franceses, no século XVIII por um pedaço de solo americano. Uma obra prima do cinema, na visão detalhista e poética de Michael Mann.

 

+ DICAS

DRÁCULA DE BRAM STOCKER

No século XV, um líder e guerreiro dos Cárpatos renega a Igreja quando esta se recusa a enterrar em solo sagrado a mulher que amava, pois ela se matou acreditando que ele estava morto. Assim, perambula através dos séculos como um morto-vivo e, ao contratar um advogado, descobre que a noiva deste é a reencarnação da sua amada.

 

COMO SE FOSSE A PRIMEIRA VEZ

Henry Roth é um veterinário paquerador. Seu novo alvo é Lucy Whitmore por quem Henry se apaixona perdidamente. Porém há um problema: Lucy sofre de falta de memória de curto prazo, o que faz com que ela rapidamente se esqueça de fatos que acabaram de acontecer. Com isso Henry é obrigado a conquistá-la, dia após dia, para ficar ao seu lado.

 

MATAR OU MORRER (1952)

Will Kane é um xerife que fica sabendo na hora de seu casamento chegará um trem trazendo Frank Miller, um criminoso que mandou para a cadeia e planeja se vingar. Apesar de Amy, sua noiva, argumentar que devem ir embora, ele acha que fugirá para sempre se não enfrentar a situação. A população se refugia sem ajudá-lo, apesar dele pedir para enfrentarem o pistoleiro.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.