Tininho ignora isolamento social e coloca culpa de surto da Covid-19 em produtores de abacaxi

COMPARTILHE
1234
Advertisement
Advertisement

Assumir um erro não é feio e mostra a humildade e dignidade de um ser humano. Grandes gestores que erraram nas ações de combate ao coronavírus tiveram a nobreza de assumir perante a sociedade. Em Marataízes, o prefeito Robertino Batista, popular “Tininho”, errou ao não adotar as medidas no início da pandemia, não assume sua submissão e ainda foi para a tevê colocar a culpa do surto da Covid-19 na cidade nos produtores de abacaxi.

Continua depois da publicidade

O que causa estranheza é que Tininho foi o primeiro gestor a declarar situação de calamidade pública no Sul do Espírito Santo por conta do coronavírus, em 24 de março, mas se recusou a fechar os comércios de segmentos não essenciais seguindo o determinado pelo Governo do Estado. O prefeito cedeu às pressões, já que estamos em ano eleitoral, e deixou as coisas ocorrerem naturalmente. Sua conduta foi criticada pelo governador Renato Casagrande.

Quem mora em Marataízes sabe que o comércio jamais fechou as portas e o povo permanecia nas ruas, em aglomerações, como se o coronavírus não existe. Erra parcela da população que ignora o vírus e erra a administração de Marataízes que não fiscaliza e não segue o que determinava o decreto estadual.

Se valendo do decreto de calamidade, a primeira ação de Tininho, com certeza para salvar vidas acredito eu, foi alugar, sem licitação, já que o decreto permite, uma tenda para o serviço de triagem pela bagatela de R$ 1,3 milhão. No mercado é possível encontrar tendas para comprar pelo valor unitário de R$ 20 mil. A Prefeitura, quando procurada para dar esclarecimentos sobre este contrato preferiu se calar. E sempre que confrontada, a municipalidade, por meio de sua assessoria de imprensa, utiliza suas redes sociais para dizer que é fake news as notícias que mostram os descasos da administração.

No dia 24 de abril, Marataízes registrou o primeiro caso de coronavírus na cidade. Nada muda em relação ao funcionamento dos estabelecimentos, mesmo estando declarado o estado de calamidade pública. Após 20 dias do primeiro registro, o município lidera os casos da doença no Sul do Estado, está entre os primeiros no ranking estadual, com mais de 80 infectados e três mortes.

Na quarta-feira (13), depois de perder o controle da situação, Tininho decidiu adotar uma espécie de “lokdown”, mas só a partir de domingo (17), mesmo a cidade estando com surto do vírus. Mais uma vez Tininho erra ao postergar as medidas.

Nesta quinta-feira, entrevista do prefeito na 1ª edição do jornal da TV Gazeta Sul causou indignação na população, principalmente nos produtores de abacaxi.

Mais uma vez Tininho não teve hombridade de se desculpar com a população e preferiu colocar a culpa da “explosão de casos da Covid-19 nos vendedores de abacaxi”. A reação da população foi imediata.

Tem uma frase muito interessante e que vale para todos os momentos e para todos: “errar é humano, permanecer no erro é burrice!”. E neste momento, permanecer no erro significa ceifar vidas. O estrago já foi feito, pois Marataízes, lá em março, seguiu na contramão dos demais municípios. O resultado está posto em números e, infelizmente, para o poder público vidas perdidas serão apenas estatísticas diárias.

 

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.