SABER PERDER TAMBÉM FAZ PARTE

COMPARTILHE
219

Criança de tenra idade já aprende com os pais que nem sempre restará vencedor(a) na vida. Será assim desde o primeiro sopro de existência até o último suspiro!

A crítica hoje vai pesada, eis que merecida.

Não é de hoje, mas o Partido dos Trabalhadores não consegue emplacar seu modo de pensar com uma linha sequer de coerência.

Continua depois da publicidade

Fica aquela sensação de amadorismo, com uma enxurrada de verborréias, criações de bordões que nada tem a acrescentar (só tumultuar), apenas o mais do mesmo e toda exposição social-separatista que adoeceu nossa gente nos últimos anos.

O que impressiona é a insistência desse agir falido, perpetrado pela esquerda brasileira.

O discurso pernicioso de Haddad ontem, ao ser derrotado, só confirma que o PT não aprendeu nada com as sucessivas derrotas dos últimos anos. A instigação do “atribui a eles o que nós fazemos”, a bobagem do governo Dilma incitando o “NÓS contra ELES”, as inúmeras subdivisões de um mesmo povo, a ladaínha estúpida do Lula Livre, e tantos outros tiros no pé, só denotam que a tão aclamada DEMOCRACIA e respeito às instituições pregadas em campanha, não passaram de meras falácias para mais uma vez impingir o estelionato eleitoral já tão habituado no covil petista!

Ficou claro que tais comportamentos prescreverão os rumos da oposição nos próximos 4 anos. E quer saber? Não deve meter medo no novo governo!

Um partido realmente democrata, deve indicar o caminho a ser seguido, desejar sucesso ao triufante do pleito eleitoral e, sobretudo, ADMITIR OS ERROS COMETIDOS. O PT definitivamente não tem esse perfil, não possui esta qualidade!

Geralmente repetimos aquele velho ditado: “Se você quer conhecer uma pessoa, dê poder a ela!”. No que concerne à esquerda brasileira, a sobredita locução pode ser reconduzida da seguinte forma: QUER CONHECER UM PARTIDO ESQUERDISTA NO BRASIL? TIRE O PODER DELE!

É lamentável! Visto que, o PT até um certo tempo, cuidou de nossa gente e trouxe dignidade aos mais necessitados. Certamente se perdeu no meio do caminho, e não quis se encontrar, até mesmo agora, que, uma oposição inteligente seria o caminho mais saudável para os rumos da nossa nação. A contrário senso, a baderna e a pirraça já deram o ar das graças momentos depois do resultado final.

O discurso de um patriota/democrata, jamais será o discurso de um simples partidário. Na soberba de sempre, a esquerda volta a condição de oposição, sem muita perspectiva de eficiência, reduzida em sua essência e ainda assim com o nariz em pé!

Na base familiar, Lula, Dilma, Haddad e companhia, não aprenderam que os revezes são naturais, e a perpetuação no poder só estava fazendo bem a eles!

Viva o Brasil, viva a alternância de poder!

 

AUTOR: DR. IGOR FONSECA – Advogado – Pós-Graduado em Direito e Processo do Trabalho.

Publicidade