Quanto de dinheiro eu preciso para comprar um imóvel?

COMPARTILHE
125

Tem gente que ainda pergunta “Ué, mas eu preciso de dinheiro?”. Se você vai comprar, independente do que possa ser você precisa de dinheiro. Não é diferente para o imóvel. No entanto, a pergunta é: quanto?
A resposta é: depende. Depende do tipo de imóvel, padrão, renda, tantas coisas. Mas sendo bem objetiva, antes de continuar uma resposta encurtada, vou contextualizar você para que possa entender.

Nenhum banco irá financiar 100% do seu imóvel. Nenhum. O que significa que, pelo menos algum dinheiro você precisa ter, muito embora não precise estar na sua mão ou no seu bolso. Já explico. Me acompanhe.

Para imóveis no valor de até R$ 170 mil em Cachoeiro, os bancos podem financiar de 70% até 90% para você. Traduzindo, você deverá ter de 10% a 30% do valor total do imóvel.
Em valores: num imóvel de R$ 170 mil, você deverá ter de 17 mil até 51 mil. A razão da distância de um valor para outro será de influências do banco que você escolher. Exemplo: Banco do Brasil financia até 90% se você tiver FGTS. Já a Caixa, só financia 70% para imóvel usado e 80% para imóvel novo.
Para imóveis de valor superior a R$ 170 mil, você encontrará financiamentos de máximo 80% do valor total do imóvel, tanto para novo quanto para usado. Sendo assim, você deverá ter, no mínimo, 20% do valor total do imóvel para dar de entrada.
PAUSE. O que é o “valor de entrada?” Valor de entrada é tudo que o banco não financia pra você. Será o valor que você deverá pagar direto ao vendedor, podendo ser combinado, vai de negociação para negociação. Neste valor, uma dica preciosa: O FGTS (Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço), se tiver mais de 3 anos de contribuição, pode ser usado como entrada. Vamos por no exemplo dos R$ 170 mil. Se você financiou R$ 136 mil reais, você financiou 80% do valor do imóvel, certo? Sua entrada então deverá ser a diferença do valor total e o valor financiado (170 – 136 = 34 mil). Se você tiver R$ 34 mil de FGTS (pode juntar o seu e de quem mais for comprar), você não precisa tirar “um real” do bolso para adquirir seu imóvel. E foi justamente disso que tratei no segundo parágrafo, e é por isso que o FGTS é tão “queridinho”.
Quanto maior for a cota máxima de percentual liberado pelo banco (de 70 a 90% do financiamento), menor será a sua entrada. Lembrando que, nem sempre a entrada é em dinheiro. Hoje é muito comum por nas negociações imóveis de menor valor, carro, dentre outros bens que ficam válidos como moeda de troca.
IMÓVEIS NA PLANTA. Os imóveis na planta são os imóveis vendidos antes de dar início às construções dos prédios e apartamentos. Alguns são financiáveis, outros pagos integralmente durante a obra. Mas o que faz os clientes procurarem MUITO esses empreendimentos em fase de planta e lançamento é que a entrada é parcelada pelo tempo da obra, nos empreendimentos que são financiáveis. Ou seja, se der 20% de entrada, ao invés de você pagar esse valor integral, você pode parcelar ele por mais de 30 meses (geralmente o tempo da obra), o que torna este valor em prestações suaves e facilita muito a aquisição do imóvel.
O importante é você sempre se planejar. Comprar uma casa não é brincar de casinha, é coisa séria. Por fim, a última dica é você ter, no mínimo, 5% do valor do imóvel para pagar as taxas e despesas para a transferência do imóvel para o seu nome, visto a mesma ser uma obrigação do comprador, e não do vendedor. Espero ter esclarecido.

Continua depois da publicidade