Planejamento Previdenciário: Já fez o seu?

COMPARTILHE
179

Você tem mais de 40 anos? Tem pai, mãe ou amigo com mais de 40? Se a resposta for positiva, esse assunto lhe interessa muito. E o interesse cresce, à medida que a reforma da previdência é iminente, o órgão previdenciário não faz a contagem de serviço corretamente, não lhe informa que podem ser averbados períodos de comprovado trabalho rural, e, também, não reconhece o tempo especial, por prestação de serviços em locais perigosos e insalubres. Enfim, não é novidade que o sistema previdenciário e as regras que envolvem os pedidos de aposentadoria no Brasil são burocráticos e complexos.

Exatamente por isso, o planejamento previdenciário é uma medida importante, que visa trazer agilidade para o segurado/trabalhador, minimizando erros e agilizando o encaminhamento e a concessão do benefício. E, mais importante, não permitindo que o INSS pague valor menor do que o segurado tem direito, e nem que você faça o pedido de aposentadoria muito tempo antes ou depois de ter o direito ao beneficio. Em razão das inúmeras regras trazidas pelo sistema previdenciário e pela legislação, é preciso estar organizado, com o recolhimento das contribuições e os documentos trabalhistas.

Além disso, quando o trabalhador busca o órgão responsável pelo benefício, é importante que ele já saiba quais são os seus direitos e o que ele deve esperar da sua aposentadoria no INSS. Se você se antecipar, através do planejamento previdenciário, poderá decidir, por exemplo, qual o melhor valor a recolher mensalmente, a fim de que sua aposentadoria seja suficiente no futuro. O planejamento previdenciário, além de estratégico, é um serviço de organização e de preparação pré-aposentadoria que visa a garantir que o segurado se aposente de forma mais rápida e recebendo o melhor benefício possível. Todos, sem dúvidas, deveriam planejar sua aposentadoria. Por exemplo, não adianta contribuir durante uma vida inteira com um valor correspondente a um salário mínimo e, depois, esperar receber uma aposentadoria de R$ 5.000,00. Ou, ainda, contribuir a vida inteira com o teto máximo de forma desnecessária. Outro exemplo de falta de planejamento envolve os trabalhadores que têm o direito à aposentadoria especial. Isso porque não adianta trabalhar em uma função que lhe garanta esse direito se você não tiver, em mãos, a documentação que o INSS exige para comprová-lo.

Continua depois da publicidade

Essas situações são muito mais comuns do que você imagina. Alguns trabalhadores não têm ideia do quanto é burocrático e complicado um pedido de aposentadoria que não vem acompanhado dos documentos exigidos e das informações que são necessárias para a concessão do benefício por parte do órgão responsável. Dessa maneira, a realização de um trabalho que antecede o pedido de aposentadoria — o chamado planejamento previdenciário — facilita todo o processo e ajuda o trabalhador a obter o melhor benefício, dentro daquilo que ele planeja.

Se você tem mais de 40 anos, procure um profissional para te orientar, fazer uma estimativa matemática que permite visualizar os valores dessas contribuições com o objetivo de definir qual será o montante recebido a título de benefício. Além disso, o planejamento contribui para a organização de documentos e a busca de informações da pessoa, antecipando possíveis problemas e reduzindo o risco de negativas do INSS por ausência de documentos. Dessa forma, o planejamento permite que o trabalhador se prepare para o futuro, contribuindo para receber a aposentadoria que ele planejou. Eu já fiz o meu: e você?

Publicidade