O que o Coronavírus pode nos ensinar sobre EMPATIA

COMPARTILHE
197
Advertisement
Advertisement

Não há outro assunto nos noticiários, o coronavírus (COVID-19), vírus que teria surgido na China, se espalhou por todo o mundo e já acumula milhares de vítimas pelo mundo. Ao mesmo tempo em que o vírus assusta, ele também nos mostra muito sobre o exercício da empatia – preocupar-se com o outro e o quanto, algumas vezes, somos egoístas.

As principais vítimas do coronavírus são as pessoas idosas ou com problemas respiratórios, portanto, muita gente que não se enquadra neste grupo de risco diz não se preocupar com a doença. Pausa para pensarmos: ser consciente é ter a consciência do todo. Você, saudável, jovem, com imunidade em dia, pode não pegar a doença mas e seus pais? Avôs? Vizinhos? Colegas de trabalho que fazem parte do grupo de risco? Muita gente pouco se importa e continua frequentando bares lotados e até participando de manifestações políticas (infelizmente, apoiadas por alguns governos).

Outra grande questão eu envolve o coronavírus e a empatia é o pânico instaurado. É recomendável que todos nós usemos o álcool gel, após estar em transporte público ou locais com muitas pessoas. E, sejamos racionais, um frasco de álcool em gel de 200ml pode durar bastante, quando a solução é aplicada só na mão. E o que as pessoas fazem? Estocam, compram 20, 30 frascos de quase um litro de álcool em gel nos mercados, farmácias, esgotam o produto e, consequentemente, não pensam no outro. O mesmo ocorre com as máscaras cirúrgicas, indicadas para profissionais da saúde e pessoas com os sintomas da doença, elas são compradas as dúzias por pessoas que apenas querem se proteger do coronavírus, e já quase se esgotam.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Sem contar nos supermercados. Por medo, muitos resolvem estocar produtos básicos como papel higiênico e mantimentos e, consequentemente, esvaziam as prateleiras. Mas e as pessoas que não têm dinheiro suficiente para comprar nesta quantidade? Ficam sem os produtos. Mais uma vez não pensamos no outro.

Se o coronavírus hoje nos preocupa tanto, ao mesmo tempo, ele nos ensina muito sobre a importância de pensar no seu próximo para ver a sociedade toda funcionar bem. Se não pensarmos hoje, a quarentena no país pode se instaurar amanhã, e ai então, as complicações, inclusive econômicas será para todos. É como quando você fazia um trabalho na escola em grupo, lembra? Se você fazia sua parte, mas não ajudava os outros a fazer, dificilmente o trabalho daria um bom resultado. Se coloque no lugar do outro para o coronavírus, para a vida. Pense além de você. Porque nós somos seres que só vivemos bem em sociedade.

Advertisement