Mais 450 empregos gerados: Indústria de placas de fibra de madeira ganha licença de operação no Espírito Santo

COMPARTILHE
264

A capacidade de produção será de 25 mil m³ por mês, sendo 12 mil revestidos.

Uma grande notícia para o Espírito Santo: foi assinada nesta sexta-feira (25), no Palácio Anchieta, a licença de operação da primeira indústria de produção de placas de fibra de madeira de média densidade (MDF) do Espírito Santo. O alvará foi emitido pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Espírito Santo (Iema).

O investimento será feito pela empresa Placas do Brasil S/A. A área escolhida é em Pinheiros, Região Norte do Estado, onde já existe a instalação da indústria. Placas do Brasil S/A participa do programa de incentivo ao governo Invest-ES.

Continua depois da publicidade

 

Benefícios

A chegada da empresa Placas do Brasil gerou 160 empregos diretos e 450 indiretos. Durante as obras, foram criados 400 empregos, chegando a 700 no pico das obras. A fábrica – que deve entrar em operação no próximo mês – produzirá painéis de MDF cru e revestido para a indústria moveleira do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e do Nordeste.

Conquista

Durante a reunião de trabalho, o governador Paulo Hartung explicou que a ideia deste projeto nasce em seu primeiro período de governo, quando o então vice-governador Ricardo Ferraço coordenou os trabalhos que encomendou um estudo, que apontou o potencial de mercado nesta área. Hartung disse ainda que o empreendimento acontece em um ambiente onde o poder público cumpre suas obrigações dentro da Lei e os empresários realizam investimentos necessários.

Ação que acontece em um momento importante para o país, em especial para a região Norte do Espírito Santo, com uma decisão de alto investimento sendo tomada dentro da maior crise socioeconômica que o país já teve. São investimentos feitos por empreendedores capixabas que se organizaram e criaram um grupo de investidores. Algo extraordinário que merece respeito e admiração. Além disso, é um acontecimento que organiza uma cadeia produtiva em nosso Estado, que nos transforma de comprador para fornecedor

 

analisou o governador.

Pronunciamentos

Para Aladim Cerqueira, secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, a chegada do empreendimento reafirma o grande potencial do Espírito Santo, mas também a responsabilidade ambiental. “Estamos muito felizes em emitir mais essa importante licença. A Placas do Brasil será a primeira indústria de produção de MDF no Estado, o que mostra a grande competitividade do Espírito Santo. Além disso, ela também irá operar com circuito hídrico fechado, onde todos efluentes gerados pela planta serão tratados e reaproveitadas no processo”, comentou o secretário.

Força do Setor moveleiro

A concepção do empreendimento partiu de uma iniciativa do Sindicato da Indústria de Madeira e Móveis de Linhares e Norte do Espírito Santo, cujo objetivo é tornar mais competitivo a produção moveleira de Linhares, visto que o principal insumo desta indústria, o MDF, consiste em produto volumoso de médio valor agregado, com considerável percentual do seu preço associado ao custo de logística.
O secretário de Estado de Desenvolvimento, José Eduardo Azevedo, ressaltou a importância do empreendimento para a economia capixaba. “A fábrica vai nos tornar mais competitivo e movimentará a cadeia produtiva de móveis e da agricultura, com a produção de eucaliptos usados na produção do MDF”.

Números

A área total da Placas do Brasil S/A constitui-se de 650.100 m², sendo que 164.500 m² corresponde à Área de Preservação Permanente (APP), 485.600 m² de área disponível para a planta – incluindo futuras expansões –, e 136.000 m² de área efetiva da planta fabril.
O projeto prevê investimentos de R$ 450 milhões na indústria e mais R$ 100 milhões na base florestal.

Publicidade