Tire seu preconceito do financiamento imobiliário e aprenda a jogar com os juros

COMPARTILHE
107

No Brasil, temos juros que em outros países são considerados surreais. Mas como tudo na vida tem dois lados, é necessário saber perceber as vantagens e as desvantagens das taxas.

Você pode perder muito dinheiro com juros se estiver endividado por aqui. No entanto, se souber jogar e tiver inteligência financeira, perceberá que muita gente fica muito rico por saber como jogar com eles.

O financiamento imobiliário é um dos créditos mais difícil (se não for o mais), de aprovação em bancos. O banco puxará se possível, todo o seu histórico financeiro. Isso porque o financiamento é em longo prazo, alguns bancos, inclusive, limitam o prazo mínimo em 120 meses.

Continua depois da publicidade

Por muitas vezes, os clientes pedem uma simulação bancária e depois perguntam “e quanto que dará isso tudo no final?” Ou seja, “qual será o total pago ao banco, só por eu estar pegando um financiamento. Quanto dá?”

Em algumas situações eu indico o cliente a nem ver isso. Não com a intenção de ocultação, só que o cliente não tem outro meio financeiro para aquisição. É necessário ter um investimento relevante para a compra, e o único meio possível é o financiamento imobiliário.

Além disso, é necessário ter a inteligência de lidar com os juros. Os juros do crédito imobiliário são taxas definidas na hora da simulação ao ano, e não ao mês. E têm diversas influencias que irão majorar ou diminuir o valor dos mesmos e, consequentemente, das parcelas, como: relacionamento com o banco, se você tem FGTS, se tem imóvel em seu nome e qual imóvel é (terreno, por exemplo, não influencia), se é pessoa física ou servidor público, dentre outros.

Sendo assim, é de extrema importância que seu corretor consulte qual será o melhor banco para aprovação do seu crédito. Digo isso porque meio por cento (0,5%) de juros a menos ao ano no seu financiamento, fará uma diferença gritante no valor final pago e nas parcelas. Fique atento!

Então o primeiro ponto é: tire seu preconceito do financiamento. Não tenha medo de ir ver esta opção, principalmente se ela for à única opção e compra pra você. Lembre-se que o aluguel é um dinheiro que “não volta”, e que está sendo gasto do mesmo jeito, mas não num lugar que não é seu. Muito embora, dependendo da sua situação, também não pode ser uma opção ruim.

Voltando ao assunto, quando você tem sua linha de crédito bem definida, bem como os seus juros, é a hora de saber jogar com ele. Se os seus juros anuais ficam menor do que a inflação, bingo! Não vale a pena quitar seu financiamento, ainda que você tenha o dinheiro.

Procure um investimento com rendimento alto, que pode chegar até 1% ao mês. Com o seu rendimento, você paga sua prestação e não perde dinheiro pagando ou quitando seu financiamento, porque se você pega uma taxa de 6,5% ao ano (o que acontece muito), ao mês é quase irrisório. Perceba que se você quitar isso estará claramente perdendo dinheiro. Cito esse caso, pois ele é totalmente real com um cliente meu que tinha este “preconceito”, e que ao fazermos um estudo financeiro para ele, chegamos a conclusão de que poderia ser um caminho inteligente e financeiramente saudável e inteligente.

E isso acontece muito, sem contar os outros casos que tivemos por aqui, que poderia ficar descrevendo por um bom tempo todos os outros exemplos reais. Só que não quero estender muito.

Como eu disse acima, muitas pessoas enriquecem, e muito, com as taxas existentes no Brasil. Por conta delas, muita gente ganha dinheiro sem fazer “nada”, mas tendo inteligência e destreza na hora de fazer o investimento certo na hora certa. Com o financiamento não é diferente. É possível sim não perder dinheiro com a contratação do mesmo, é só você saber jogar, e para isso, tenha alguém que saiba fazer essas jogadas com você.

Publicidade