Jornada de Oncologia é sucesso em Cachoeiro / A Sociedade Capixaba passa AQUI

COMPARTILHE
273

O mundo capixaba passa AQUI

Nenhum de Nós, uma das atrações do Festival de Inverno de Guaçuí. Trilha sonora de hoje para embalar nossa Coluna: clica no play

 

DESTAQUES DE HOJE

BELA – Super elegante, Carol Borges prepara sua estreia em . A Formatura está chegando e desejamos a esta amiga todo o sucesso do mundo em sua carreira. ACERVO PESSOAL
Continua depois da publicidade

AMOR – Os Pais Eduardo Borges e Simone Benevenuto Borges, comemorando o 1º mesversário da filha Elisa. FOTO FERNANDA VASQUES
ÍDOLO – Quem não conhece Barbosa, não conhece Cachoeiro. Um dos ícones da maior cidade do sul do ES recebe hoje nossa homenagem como gente do bem que está sempre com um sorriso para todo mundo. No flash ele posa com Franceila Amorim – ACERVO PESSOAL

 

JORNADA DE ONCOLOGIA

Uma manhã para falar do acesso ao tratamento de Câncer

Auditório cheio para discutir sobre o acesso do paciente ao tratamento de câncer. Desta forma, muitas pessoas, passaram a manhã desta sexta-feira (06). O evento que é uma promoção de um hospital filantrópico de Cachoeiro de Itapemirim e do Grupo de Apoio aos Portadores de Câncer de Cachoeiro de Itapemirim (GAPCCI) contou com a presença de gestores de municípios do Sul do Estado, acadêmicos, pacientes e pessoas ligadas à Casa de Apoio como Wanda Bravin, presidente da Casa.

Na abertura o oncologista José Zago Pulido apresentou o evento e passou a palavra à advogada Ana Paula Castelo que falou sobre a Lei dos 60 dias, que estabelece que o primeiro tratamento oncológico no Sistema Único de Saúde (SUS) deve iniciar no prazo máximo de 60 dias a partir da assinatura do laudo patológico ou em prazo menor, conforme necessidade terapêutica do caso registrado no prontuário do paciente.

Logo em seguida o administrador do hospital Darcy Viqueti que fez uma explanação sobre o teto financeiro de prestador de serviços do SUS como fator limitante ao acesso na prestação dos serviços.

Após um breve recesso, o Juiz de Direito Dr. João Batista Chaia Ramos falou sobre a judicialização, que segundo ele deve ser utilizada com cautela e bastante sabedoria. Para ilustrar tudo que foi debatido, a oncologista Sabina Aleixo convidou uma de suas pacientes para dar um depoimento.

Com muito bom humor, Camila Terra contou toda a sua trajetória, desde a primeira desconfiança até o tratamento na concologia coordenada por dra Sabina Aleixo. “Foi um ano até conseguir chegar aqui. Isso porque eu pulei algumas etapas arcando com algumas despesas de exames e consultas. Se não fosse isso, não sei como teria sido”, disse.

Ela que iniciou câncer de mama, hoje também trata um tumor no fígado e segundo a médica, o surgimento desta segunda lesão veio em decorrência dessa grande demora nos tramites para início do tratamento. E ela ainda teve um outro contratempo para fazer uso de um medicamento que agora por Lei é fornecido pelo governo. “A gente tenta ao máximo não judicializar todos os casos, mas para a Camila era importante receber o remédio e houve dificuldades e tivemos que apelar para a justiça,” explicou.

Esse medicamento é voltado ao tratamento do câncer de mama e pode dobrar a sobrevida de mulheres com metástase, fase em que as células malignas estão presentes em outras áreas do corpo.  Apesar dos problemas no abastecimento desta medicação,  Dr. Pulido garantiu que está tudo normalizado.

O evento foi finalizado com um debate de todos os palestrantes mediado pelo supervisor técnico e relações institucionais do Serviço de Radioterapia de um hospital de Cachoeiro, Wanderley Moraes e da leitura de termo de pactualização e devidamente assinada pelos participantes para o desenvolvimento de melhorias nas áreas discutidas durante a jornada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS ENVIADAS POR ÉRICA CORTESINI – CASA DE APOIO

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Publicidade