Feliz Ano Velho

COMPARTILHE
102

Nosso artigo dessa semana tem cunho reflexivo sobre os acontecimentos do primeiro semestre de 2018. Estava eu deitado a me perguntar sobre o que escrever para esta quarta-feira, acredito que a dificuldade em desenvolver um tema veio da quantidade de acontecimentos que nortearam o primeiro semestre e nos obrigou a ser cada vez mais coerente, prudente e principalmente estrategista. Se eu fosse colocar no papel tudo que passei e relatei no decorrer desses primeiros seis meses, poderia escrever um livro, mas prefiro uma análise mais ampla dos fatos.
Em um ano de copa do mundo e eleições presidenciais não era de se esperar calmaria e estabilidade. Poucas foram as empresas que registraram crescimento nesses primeiros seis meses de 2018. O desemprego aumentou, falta trabalho para 27, 7 milhões de pessoas. O PIB caiu e o mercado financeiro reduziu a expectativa de crescimento para o Brasil. E para ampliar o desgaste empresarial, no mês de maio o país parou durante 10 dias para atender as justas exigências dos caminhoneiros, que reivindicavam a redução do preço dos combustíveis e pedágios. No final de tudo, mais uma vez, quem pagou a conta fomos nós.
Mas, o varejo e suas reinvenções empresariais fizeram esse segmento evoluir, depois de dois anos de queda no primeiro trimestre, o comércio voltou a crescer nos primeiros meses de 2018. A atividade do varejo aumentou 7,3% nesse período. O crescimento do comércio foi impulsionado pelo segmento de móveis, eletrodomésticos e informática, que teve alta de 17,2% na comparação anual. As vendas de veículos, motos e peças também tiveram bom resultado, com crescimento de 7%. Os hipermercados, supermercados, alimentos e bebidas cresceram 0,5%.
Os segmentos que amargaram queda foram: combustíveis e lubrificantes que apresentou a maior baixa no período – 10,1%. O ramo de materiais de construção sofreu retração de 6,5%. O comércio de tecidos, vestuário, calçados e acessórios teve variação negativa de 0,7%.
2018 está sendo um ano cheio de surpresas e expectativas, e só terminará oficialmente dia 31 de Dezembro. Não sou vidente mas sugiro cautela e muita prudência nesta segunda etapa de 2018, já assisti muitos empresários fecharem suas portas no decorrer desse período por indisciplina e falta de planejamento e profissionalismo. Mas não se assustem, com foco e objetivo venceremos mais essa fase.
Adeus ano novo e feliz ano velho à todos.

Continua depois da publicidade