Desejo x necessidade - A ETAPA FUNDAMENTAL NA ESCOLHA DO IMÓVEL

COMPARTILHE
56

Na hora de comprar o seu imóvel, a gente imagina tanta coisa, né? Queremos realizar todos os nossos desejos. Ter uma piscina, um quarto enorme, uma varanda gourmet super equipada com ventilação e o sol batendo só pela manhã e, de preferência, com vista para o mar.
Os desejos se misturam com os sonhos e vontades e é aquela coisa, sonhar não paga e faz muito bem. No entanto, nem sempre aquilo que desejamos é o que vai realmente atender as nossas reais necessidades.
Uma casa com piscina, por exemplo, você tem que ter tempo para aproveitar. Se você viaja muito e quase não tem tempo para curtir, o sonho da piscina se torna um alto custo. Na coluna “qual imóvel é para mim?” que escrevi há duas semanas, abordei a questão sobre o imóvel ter que se adequar a sua rotina, e não o inverso. E isso acontece muito quando olhamos apenas o preço.

Quando você resolve comprar um imóvel, são muitas opções que temos no mercado, e ainda não se sabe ao certo o que se quer, correto?

Isso é comum. O momento de escolha envolve questões emocionais (que também já tratamos aqui, sugestão da minha amiga Vanoka no tema “como separar o emocional do racional”), e envolve esses pensamentos e desejos que, ao analisar de perto as opções, percebe-se que nem sempre o que você deseja é, de fato, o que você precisa.
Separar a necessidade dos desejos é uma etapa essencial para facilitar a escolha do imóvel. E a necessidade não é facilmente identificada, em razão de que dificilmente se trata de detalhes que os clientes acreditam serem os principais: tamanho do imóvel, quantidade de quartos e vagas, preço. Isso é muito fácil de resolver.
A adequação do imóvel na rotina do comprador é que faz toda a diferença. E isso é muito real e comum que vou te contar o que já aconteceu com um cliente meu. Uma família me procurou para comprar uma cobertura aqui em Cachoeiro. Em conversa pessoal com eles, um bate papo, eles foram colocando os pontos que achavam importantes e eu fui fazendo o levantamento de necessidades de cada membro da casa. Ao final, mostrei o imóvel que eu acreditava ser o que mais se enquadraria e atenderia todos. E eles compraram. Só tem uma questão, o apartamento era no primeiro andar. Este caso me marcou muito, até porque os clientes hoje estão super hiper mega satisfeitos com a escolha que fizeram, e que era completamente diferente do plano inicial. Percebi aqui a importância de se separar desejo de necessidades.
Até porque você não vai encontrar um imóvel com tudo 100%. Se fosse assim, não existiriam as reformas. Às vezes o cliente gosta da varanda de um, com o quarto do outro, com o lazer de outro prédio. É preciso elencar, dentro das suas reais necessidades, quais são as suas prioridades.
O corretor de imóveis tem o dever de orientar o cliente, e vai identificando e ponderando para os mesmos todas as suas observações que são feitas com técnicas, e não baseadas em achismos. É necessário que o cliente escute e confie no corretor que o está atendendo, e que tome a decisão com bastante embasamento.
Os sonhos e desejos são os que nos movem, e deve estar conosco sempre. Mas uma má escolha na hora de adquirir o imóvel, na maioria das vezes, não pode ser desfeita, como uma roupa, ou um acessório. Enumere suas reais necessidades, procure o corretor (independente de conseguir elencar ou não), eleja suas prioridades e confie na orientação. Isso tornará sua escolha muito mais fácil e assertiva.

Continua depois da publicidade