Adiamento das eleições 2020 divide opinião entre deputados federais da bancada capixaba

COMPARTILHE
592
Advertisement
Advertisement

Por conta da pandemia do coronavírus muitos políticos no Brasil defendem o adiamento das eleições 2020, previstas para outubro. Alguns até entendem que as eleições deveriam ser unificadas e ocorrer em 2022, prorrogando o mandato dos atuais prefeitos e vereadores.

Continua depois da publicidade

Nesta terça-feira (31), o Progressistas pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que os candidatos às eleições municipais deste ano tenham 30 dias a mais para se filiar ao partido político pelo qual vão concorrer e quer mais 30 dias para que quem ocupa cargos públicos possa deixar as funções para se candidatar às prefeituras. O prazo para filiações termina neste sábado.

O PP argumentou que a crise causada pelo coronavírus impacta as ações dos partidos para atrair novos integrantes e a decisão de quem ocupa cargos públicos – como secretários de saúde – de deixar o posto para concorrer a mandatos.

No Espírito Santo, o adiamento divide opinião entre os deputados federais ouvidos pela coluna.

O deputado federal Amaro Neto (Republicanos), que deverá disputar a prefeitura da Serra, diz que se considerar as perspectivas das autoridades de saúde, de que abril será o pico da pandemia, deveria ser avaliada a possibilidade de extensão de prazos de filiação.

“Em relação à mudança na data das eleições, considero que este não seja momento oportuno para o debate”, Amaro Neto

“Porém, em relação à mudança na data das eleições, considero que este não seja momento oportuno para o debate. O foco agora deve ser no combate ao coronavírus, no fortalecimento do sistema de saúde, no plano de apoio à economia e garantias de direitos aos trabalhadores. Temos trabalhado, em sessões virtuais e remotas, para aprovar projetos que garantam renda aos trabalhadores e ajuda aos empregadores, além de conseguir liberação de emendas para atender a saúde em nosso Estado”, disse Amaro.

Norma Ayub (DEM), pré-candidata a prefeita em Marataízes, afirma reconhecer que a pandemia traz como consequência, além da gravíssima situação na saúde pública, outras situações de extrema preocupação como o reflexo na economia, principalmente na empregabilidade e na renda do cidadão brasileiro.

O debate político ideológico do processo eleitoral de 2020 é muito importante, e já está comprometido, visto que o próprio calendário eleitoral se encontra em dificuldades operacionais para ser cumprido”, Norma Ayub

“Mas, entendo também que o debate político ideológico do processo eleitoral de 2020 é muito importante, e já está comprometido, visto que o próprio calendário eleitoral se encontra em dificuldades operacionais para ser cumprido. Penso que precisamos debater este tema, como de interesse supra partidário, numa visão de estratégia nacional, desvinculado de fisiologismo regional e simplesmente eleitoral, onde possa ser garantido ao povo brasileiro um debate ideológico, de forma democrática e participativa.  Neste debate haveremos de encontrar a luz da melhor solução”, defende Norma.

O deputado federal Ted Conti (PSB) é a favor do adiamento das eleições municipais. Na última segunda-feira (30), o parlamentar protocolou proposta de Lei para que o Fundo Eleitoral, recurso utilizado para o financiamento das campanhas em âmbitos municipal, estadual e federal, seja revertido para ações de combate ao Covid-19.

“Uma eleição, além de envolver recursos públicos, necessita de muitas reuniões, convenções e contatos com os eleitores, o que neste momento coloca a saúde de todos em risco”, Ted Conti

Conti se posiciona de forma que todos os esforços devam ser realizados para atender a população neste momento de pandemia. “Uma eleição, além de envolver recursos públicos, necessita de muitas reuniões, convenções e contatos com os eleitores, o que neste momento coloca a saúde de todos em risco. Além disso, existem os prazos de filiações e formações de chapas de vereadores, por exemplo, que deveriam acontecer até o início deste mês, mas que devido à crise na saúde pública no Brasil, não deve acontecer neste período. Com o adiamento das eleições o recurso oriundo do Fundo Eleitoral deve ser aplicado na saúde. Todos os esforços têm que ser no combate ao vírus nessa grave pandemia”, defende.

A deputada Soraya Manato (PSL), principal apoiadora do presidente Bolsonaro no Espírito Santo, apenas disse, por meio de sua assessoria de imprensa que “é contra o adiamento das eleições”. A parlamentar não comentou a possibilidade de extensão de prazo para filiação em partidos.

Eleições em 2022

As propostas legislativas de adiamento das eleições municipais de 2020 para 2022, devido à pandemia do novo coronavírus, têm ganhado força entre senadores. O líder do PSL, senador Major Olimpio (SP), defende a unificação dos pleitos federais, estaduais e municipais, evitando-se, assim, os gastos com as campanhas eleitorais deste ano.

A economia esperada, segundo Major Olimpio, seria de até R$ 1,5 bilhão, além dos recursos do fundo eleitoral, que não seriam utilizados. Elmano Férrer (Podemos-PI) e Wellington Fagundes (PL-MT) também propõem o adiamento.

Ouça!

 

 

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.