Caparaó tem os melhores cafés de MG em disputa nacional de qualidade

COMPARTILHE
651

O Caparaó confirma sua vocação para cafés de altíssima qualidade. Dois cafeicultores da região são os primeiros colocados no 14º Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais. Por conta disso, também se classificaram para a etapa do concurso nacional de qualidade de café, realizado pela Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), que será divulgado no próximo dia 30 de janeiro. O Sicoob Credisudeste está na torcida.

Onofre de Lacerda e Sebastiana Faria

 

A vitória de Onofre Alves de Lacerda (categoria Natural) e Sebastiana de Oliveira Faria (categoria Cereja Descascado), pelo júri técnico do concurso, vem mais uma vez confirmar a região do Caparaó no mapa dos cafés finos nacional e traz otimismo a outros produtores locais.

Continua depois da publicidade

Ligados à Associação dos Produtores Rurais de Pedra Menina (Aprupem), e em parceira com o Sicoob Credisudeste, Onofre e Sebastiana são moradores do município de Espera Feliz (MG), na divisa com o Espírito Santo. Os produtores superaram outras 2.500 amostras de cafés de fino sabor e de várias regiões do estado no concurso.

Com apoio de suas respectivas famílias, eles produzem cafés a cerca de 1.200m de altitude e mantêm a dedicada rotina no preparo dos grãos para obtenção de bebida superior. A dupla já coleciona dezenas de prêmios de qualidade regionais, estaduais e nacionais.

Onofre de Lacerda e Sebastiana Faria

 

“É um trabalho que a gente começou sozinho e, hoje, a família está junta. Nosso café está nas mesas do Japão, dos Estados Unidos… Só este ano tivemos trinta países diferentes visitando nossa propriedade. Estou muito feliz”, declara Seu Onofre, da localidade de Forquilha do Rio.

Dona Sebastiana, do Córrego do Brejo, conta o segredo da qualidade do seu café: “Eu não esperava o resultado, tive uma surpresa. É Deus que abençoa a gente com o serviço, e a gente tem que ter cuidado mesmo. Se não fizer café bom, não tem preço”.

Além da dupla campeã de Minas, outros dois finalistas no concurso da Abic são do Caparaó. “Durante muitos anos, o Sul e o Cerrado Mineiro fizeram fama com os melhores cafés. A Zona da Mata Mineira era conhecida como produtora de café “rio zona” e, hoje, com destaque para o Caparaó, desponta como região de cafés finos”, destaca o gerente de negócios do Sicoob Credisudeste, Clodoaldo Heitor.

A força da cooperação

Com sede em Muriaé (MG), o Sicoob Credisudeste completou 30 anos em 2017 e conta com 30 mil associados, sendo 3.000 nos municípios limítrofes de Dores do Rio Preto (ES) e Espera Feliz (MG), onde mantém agências. A cooperativa fomenta a produção de cafés especiais na região, incentivando os cafeicultores cooperados a participarem de eventos na área e abrindo portas para a comercialização dos seus cafés.

“A ideia é ter mais donas Sebastianas e seus Onofres entre nossos cooperados. A partir das conquistas desses cafeicultores, vários produtores do entorno passaram a produzir cafés especiais e chegam à nossa agência para realizar investimentos”, diz o gerente da agência de Espera Feliz, Reuber de Souza.

O gerente geral do Sicoob Credisudeste, Allan Hott, foi conferir de perto esse momento promissor do Caparaó. “É gratificante para nós quando estamos aqui em campo para ver a realidade do nosso trabalho, o quanto ele influencia diretamente na cultura, na economia e no desenvolvimento local. É isso que faz a diferença e nos dá motivação para continuar com essa causa nobre que é o cooperativismo”, finaliza.

Publicidade