Economia

Senado adia votação que pode manter benefícios para indústria de refrigerantes

COMPARTILHE
18

Em meio à queda de braço na indústria dos refrigerantes para mudar o decreto que acaba com o incentivo fiscal para as empresas de refrigerante da Zona Franca de Manaus, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado adiou a votação de dois decretos legislativos que sustam os efeitos da medida do governo que retira o incentivo tributário das indústrias de refrigerantes na Zona Franca de Manaus. A medida fez parte do pacote compensatório para bancar o subsídio ao diesel.

STF suspende julgamento sobre terceirização

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve retomar na próxima quarta-feira, 22, o julgamento de...

Dólar tem dia de volatilidade, sobe 0,13% e chega a R$ 3,90

O dólar teve desempenho inconstante nesta quinta-feira, 16, oscilando ao sabor de influências internas...

Ibovespa fecha em leve queda de 0,34%, aos 76.818,72 pontos

Fatores ligados ao ambiente político interno azedaram o que poderia ser um dia de...

Os integrantes da CCJ pediram vista coletiva ao relatório do senador Roberto Rocha (PSDB-MA) depois de intenso debate. Uma audiência pública foi marcada para a próxima terça-feira com a presença do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. O senador Eduardo Braga (MDB-AM), autor de um dos decretos mobilizou os representantes da região, mas não conseguiu a votação.

Na Câmara de Deputados, a Comissão de Finanças e Tributação também aprovou requerimento do deputado Fausto Pinato (PP-SP) para uma audiência pública sobre o mesmo assunto. O deputado quer barrar a aprovação dos decretos legislativos. Pinato criticou a ameaça das empresas fabricantes de concentrado em Manaus de demissão de 15 mil trabalhadores, como mostrou o Estadão/Broadcast. “Estão usando a Zona Franca como escudo”, disse o deputado. “Onde estão os 15 mil empregos?”, desafiou. Segundo ele, os empregos diretos na região não passam de 517 no polo de fabricação de concentrados.

Continua depois da publicidade

Adriana Fernandes
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade