Geral

Indústria de remédio diz que nova base do ICMS de SP eleva preço e pede suspensão

COMPARTILHE
107
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Associações que representam a indústria de medicamentos genéricos e laboratórios farmacêuticos estão pedindo ao governo de São Paulo a suspensão de uma portaria, publicada no último dia do ano passado, que fixou a base de cálculo para cobrança do ICMS dos remédios. Segundo o setor, o Estado superestimou valores de insumos e medicamentos para a base de cálculo do tributo estadual, o que deve levar a aumentos nos preços dos produtos a partir de fevereiro.

Continua depois da publicidade

Um ofício com o pedido de suspensão foi encaminhado nesta quarta-feira, 25, pela Prógenéricos, representante dos fabricantes de medicamentos genéricos, e pela Alanac, associação dos laboratórios farmacêuticos nacionais, ao subsecretário da Receita Estadual, Luiz Marcio de Souza, com quem as entidades têm uma reunião agendada para a terça-feira, às 10h30.

“Na prática, aumenta o preço para o consumidor e pode inviabilizar o acesso da população a vários genéricos”, diz o presidente-executivo da PróGenéricos, Thiago Meirelles, ao comentar os possíveis efeitos da medida.

Ele alerta que muitos dos medicamentos que aumentarão de preço, como antibióticos, são de uso contínuo.

Continua depois da publicidade

A PróGenéricos informa que, desde que começaram a ser comercializados, em 1999, os genéricos já geraram economia de R$ 241 bilhões para a população brasileira.

Eduardo Laguna
Estadao Conteudo
Copyright © 2023 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.