Economia

Bolsas da Europa fecham em baixa, com BCE e incertezas sobre economia global

COMPARTILHE
23
Advertisement
Advertisement
Advertisement

As bolsas da Europa fecharam em baixa nesta quarta-feira, 25, em pregão marcado pela aversão ao risco, com investidores cautelosos em meio aos sinais de desaceleração da economia global e no aguardo da próxima decisão de juros do Banco Central Europeu (BCE).

Continua depois da publicidade

Em Frankfurt, o índice DAX fechou em baixa 0,08%, a 15.081,64 pontos. O CAC 40, em Paris, caiu 0,09%, a 7.043,88 pontos, e o FTSE MIB, em Milão, fechou em baixa de 0,03%, a 25.875,30 pontos. Já em Madri, o índice Ibex 35 recuou 0,18%, a 8.951,20 pontos. Por fim, na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 cedeu 0,68%, a 5.898,56 pontos. As cotações são preliminares.

Em Londres, o FTSE 100 fechou em baixa de 0,16%, a 7.744,87 pontos, puxada pelas ações da Polymetal, que despencaram mais de 20% com a notícia de que a mineradora considera mudar sua listagem para bolsa no Cazaquistão. Na outra ponta, a empresa Aviva teve alta de mais de 3%, depois que a seguradora relatou negociações otimistas em seus seguros gerais.

Mais cedo, apesar da melhora do índice de sentimento das empresas da Alemanha, um detalhamento da pesquisa apontou para uma queda da confiança em relação às condições econômicas atuais, o que deixou os investidores cautelosos.

Continua depois da publicidade

Na visão do Commerzbank, mesmo com a alta, a recessão ainda parece o cenário mais provável para o país. Análise da Capital Economics da pesquisa também indica que a Alemanha não está fora do perigo de uma recessão. Na visão do ministro Economia do país, Robert Habeck, ainda é provável que a nação passe por uma “recessão técnica”.

Reafirmando essa perspectivas de incertezas, o dirigente do BCE Gabriel Makhlouf afirmou nesta quarta, em evento, que a alta incerteza é uma das características do ano de 2023. Makhlouf também afirmou que o BC europeu precisa continuar a aumentar as taxas de juros na reunião da próxima semana e na de março, em um “passo semelhante” às decisões do comitê em dezembro, quando as taxas foram elevadas em 50 pontos-base (pb). As altas de 50 pontos-base (pb) também foram mencionadas pelo dirigente Botjan Vasle.

Na esteira de Wall Street, as bolsas europeias também reagiram às quedas das bolsas de Nova York, com balanços de gigantes em foco. Entretanto, segundo análise da CMC Markets, as bolsas europeias “estão se mantendo relativamente bem em comparação, mesmo quando são negociadas em mínimas de uma semana ou perto delas”.

Advertisement
Continua depois da publicidade

*Com informações da Dow Jones Newswires.

Natália Coelho*
Estadao Conteudo
Copyright © 2023 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.