Economia

Lula fala em acordo Mercosul-China e em destravar o da UE após reunião com Pou

COMPARTILHE
79
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Após se reunir em Montevidéu com o presidente do Uruguai, Lacalle Pou, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, acenou nesta quarta-feira, 25, para negociações de um acordo comercial do Mercosul com a China. Ele também prometeu destravar o acordo comercial entre Mercosul e União Europeia, chamado por ele de urgente, e se comprometeu a discutir uma renovação do Mercosul, uma demanda do país vizinho.

Continua depois da publicidade

As negociações comerciais unilaterais entre Uruguai e China são justamente o nó górdio desta viagem de Lula, que tenta impedir esse movimento para evitar a fragilização do Mercosul. “Disse a Lacalle e digo a meus ministros, vamos intensificar as discussões com a União Europeia e vamos ficar esse acordo para que a gente possa discutir apenas um possível acordo entre China e Mercosul. E eu acho que é possível”, declarou Lula em Montevidéu após a reunião.

Depois de lembrar as boas relações que o Brasil teve com o Uruguai ao longo dos mandatos petistas – e chamar o ex-presidente Michel Temer de “golpista” -, Lula afirmou que agora recebeu um país semidestruído e disse ser preciso “trabalhar junto” para o crescimento da região. Ele também reconheceu a necessidade de abrir mais o comércio bilateral.

“Quero dizer para o presidente que as ideias de discutir a chamada inovação ou renovação do Mercosul estávamos completamente de acordo. O que precisamos fazer para modernizar o Mercosul? Primeiramente, queremos sentar à mesa com nossos técnicos, depois com nossos ministros e finalmente com os presidentes para que a gente possa renovar aquilo que for necessário renovar”, prometeu Lula.

Continua depois da publicidade

Uruguai reitera posição sobre negociação com a China

O presidente do Uruguai, por sua vez, reiterou sua disposição de flexibilizar o Mercosul e de manter as negociações por um acordo comercial com a China. “O Uruguai vai avançar nas suas negociações com a China. O Brasil pode paralelamente fazer seu caminho e após isso vamos compartilhar tudo o que foi negociado. E o Uruguai pode se ajustar com aquilo que o Brasil propuser. O Brasil pode dizer o que conseguiu negociar com a China”, afirmou após a reunião com Lula. “Para resumir, o Mercosul que queremos precisa ser moderno, flexível e aberto ao mundo”, acrescentou.

De acordo com Lacalle Pou, a reunião com Lula e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, foi intensa e extensa, mas desprovida de ideologias e sem brigas.

Advertisement
Continua depois da publicidade

“Nós poderíamos ter brigado, mas não fizemos isso. Simplesmente marcamos algumas diferenças dos pontos que nós queremos para poder avançar, principalmente o relacionamento entre o Uruguai e Brasil como membros do Mercosul”, destacou o líder uruguaio, que é de centro-direita. “Dissemos quais são os interesses de nossos povos, de nossos países. Sempre tentamos que interesses de nossas nações coincidam.”

Lacalle Pou afirmou que haverá a criação de um grupo técnico para discutir o impasse com o Mercosul. “Uruguai tem suas negociações e não tem impedimento de dizer isso”, destacou, ao reconhecer o peso do Brasil nas tratativas.

A possibilidade tornar o Aeroporto de Rivera um terminal internacional também foi citada na reunião, disse Lacalle Pou, assim como a necessidade de melhorar a balança comercial.

Eduardo Gayer (enviado especial) e Sofia Aguiar
Estadao Conteudo
Copyright © 2023 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.