Política Regional

Vereadores de Guaçuí afirmam que município vive caos com falta de água

COMPARTILHE
segunda-feira (21), a maioria dos vereadores demonstrou indignação com a situação vivida pela população, por causa da falta de água
370
Advertisement
Advertisement

Na sessão ordinária da Câmara Municipal de Guaçuí, na noite desta segunda-feira (21), a maioria dos vereadores demonstrou indignação com a situação vivida pela população, por causa da falta de água que já dura sete dias. Ao contrário do que prometeu a direção do SAAE de Guaçuí, de que a situação se normalizaria a partir de sábado (19), no máximo domingo (20), nos bairros mais altos, vários bairros continuam não tendo abastecimento de água suficiente ou nenhum.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Além disso, os vereadores revelaram uma informação que a grande maioria da população não tinha conhecimento. Segundo eles, antes do rompimento da nova adutora de São Felipe, a antiga adutora que vem da mesma localidade estava com problemas há 45 dias. Ou seja, com o rompimento da nova, a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Cristo Redentor ficou praticamente sem água, pois estava recebendo água bruta apenas da antiga adutora de Santa Luzia.

O vereador Wanderley de Moraes colocou que o SAAE precisa ter um plano de contingência para situações como a que aconteceram. “É preciso ter material em estoque e um projeto de modernização da autarquia, e por que a adutora só está passando por manutenção agora?” – questionou. “A cidade ficou desassistida por mais de 6 dias e é preciso contabilizar o prejuízo que isso provocou, então, é preciso estar preparado para rompimentos da adutora e dar uma solução, no máximo, em 24 horas”, completou.

“Nunca tinha visto a cidade sete dias sem água”

O vereador Valmir Santiado disse que nunca tinha visto a cidade ficar sete dias sem água. Ele também reclamou que o prefeito Marcos Jauhar não apareceu para dar qualquer explicação, durante esses dias. “Ele tem que estar à frente dos problemas, saber o que está acontecendo, porque são pessoas doentes, crianças, hospital, pronto socorro com falta de água”, afirmou. “São três adutoras e uma está há 45 dias com problemas, então, a gestão tem que estar atenta, para saber o que precisa fazer, ter compromisso com a população e a direção é escolhida pelo prefeito, então, se não está bem, só trocar”, acrescentou.

Continua depois da publicidade

O líder do prefeito na Câmara, vereador Carlos Lomeu, também sentiu na pele a falta de água. Com a mãe acamada que recebe os cuidados de suas irmãs, ele falou sobre o drama vivido pela família para poder cuidar da idosa. “Pedi ajuda ao diretor do SAAE, mas nada aconteceu até agora, e minha irmã está tendo que carregar água de uma mina para atender minha mãe, então, fica aqui minha insatisfação com a gestão do SAAE, não por não ter me atendido, até melhor não ter atendido, porque iam falar que eu estava sendo favorecido por ser vereador, enquanto outras pessoas estavam sem água em casa”, afirmou.

Já o vereador Vitor Moraes disse estar assustado com o silêncio do prefeito e pela falta d’água não ter sido solucionada até agora, porque “tem muita gente sem água ainda”. “A impressão que dá é que o Executivo não estava reconhecendo o problema e ninguém explica o porquê do reservatório está cheio e as casas continuam sem água”, questionou, dizendo que a paciência da população chegou ao limite. “E na ETA existe um reservatório novo de 300 mil litros pronto, há dois anos, que só precisa ser ligado ao sistema, o que não feito até agora e a responsabilidade é do SAAE, então, isso é falta de administração”, completou

Falta de atenção e ausência do Executivo Municipal

Outros vereadores também se manifestaram sobre a falta de água. O vereador Aroldo Montoni reclamou a falta de atenção e presença da Prefeitura de Guaçuí nas comunidades, ressaltando a ausência do prefeito à frente de muitos problemas. Enquanto o vereador Nelsinho colocou que o principal responsável pela situação é o prefeito Marcos Jauhar e chegou a dizer que a troca recente da direção do SAAE foi um erro, dizendo que a autarquia estava se organizando para fazer investimentos e, agora, nada aconteceu.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Já o vereador Julinho Tererê colocou que a população está passando por muitos problemas pela falta de água e que o Executivo Municipal fica economizando muito, mas não atende a população. E deu uma sugestão: “Por que não usar caminhões para encher os reservatórios e não ficar pegando água tratada de lá, porque não está chegando água suficiente, como foi feito na administração passada, na época da seca?”

O vereador Dim Barbeiro também colocou que a antiga adutora de São Felipe tinha que já ter sido recuperada, antes do rompimento da nova. Ele sugeriu a ampliação de reservatórios de bairros, como o Manoel Monteiro Torres, e a distribuição de caixas d’água, porque “tem gente que não tem nem um reservatório de 100 litros em casa”.

Os vereadores Renato Duponei e Zé Ruim falaram sobre dialogar com a Prefeitura. Segundo Duponei, é preciso união e buscar ajuda para resolver o problema que não é simples. Enquanto Zé Ruim sugeriu que todas as ideias colocadas pelos vereadores sejam levadas até o prefeito e o diretor do SAAE.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.