Segurança

Justiça aceita internação provisória de atirador

COMPARTILHE
Justiça aceite internação provisória atirador
Foto: Reprodução
1706
Advertisement
Advertisement

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES), por meio dos promotores de Justiça de Aracruz, Fernando Cesar Ferreira Petrungaro e Marcelo Victor Valente Gouveia Teixeira, segue atuando no caso das invasões e dos ataques a duas escolas localizadas no município, na última sexta-feira (25).

Advertisement
Continua depois da publicidade

A ação criminosa do atirador, de 16 anos, resultou em quatro mortes e 12 feridos, sendo quatro hospitalizados em estado grave.

O MPES representou contra o adolescente pedindo a internação provisória pelos fatos, o que já foi aceito pelo Poder Judiciário. O processo, por envolver adolescente, segue em segredo de Justiça, conforme estabelece a legislação. 

Representantes do Ministério Público estiveram nas escolas onde os atentados ocorreram, ao lado de outras autoridades das forças de segurança pública, tão logo foram informados dos fatos, na manhã de sexta-feira. Os promotores Fernando Cesar Ferreira Petrungaro e Marcelo Victor Valente Gouveia Teixeira realizaram a oitiva informal do adolescente na própria delegacia, visto a aglomeração de populares no local, que dificultavam o transporte do adolescente à Promotoria de Justiça.

Continua depois da publicidade

Além dos promotores do município, a Procuradora-geral de Justiça, Luciana Andrade, membros do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Central e Gaeco-Norte), o secretário-geral do Gabinete da Procuradora-Geral de Justiça, promotor Francisco Martínez Berdeal; a assessora do Gabinete da Procuradora-Geral e promotora Cláudia R. Santos Garcia; e o gerente-geral do MPES, promotor de Justiça Lidson Fausto da Silva, também estiveram em Aracruz na sexta-feira.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.