Cidades

HIFA se veste de roxo e realiza semana da prematuridade

COMPARTILHE
Entre os dias 14 e 21 de novembro o Hospital Materno Infantil Francisco de Assis (HIFA) realizou a semana da prematuridade. A programação faz
61
Advertisement
Advertisement

Entre os dias 14 e 21 de novembro o Hospital Materno Infantil Francisco de Assis (HIFA) realizou a semana da prematuridade. A programação faz parte do novembro roxo, mês internacional de sensibilização para a prematuridade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo todo, aproximadamente 30 milhões de bebês nascem prematuramente a cada ano, ou seja, um a cada 10 bebês.

Advertisement
Continua depois da publicidade

No primeiro dia, as mães participaram de um momento de relaxamento e autocuidado através do trabalho voluntário realizado pela Elaine Cazott e Neia Pereira Cordeiro e do Espaço Elaina Cazott. Elas disponibilizaram a tarde para realizar análise capilar, massagem e SPA dos pés.

Também teve capacitação dos colaboradores com o tema cuidados mínimos, temperatura e incentivo do contato pele a pele, que traz tantos benefícios para os bebês. Aconteceu ainda roda de conversa com as mamães e orientações sobre ordenha, manipulação e administração de leite humano aos bebês prematuros, com a enfermeira responsável pelo banco de leite, Patrícia Mendes de Souza Grifo, responsável pela coordenação do banco de leite do HIFA. Toda a programação foi pensada e elaborada pela Pediatra e Intensivista, coordenadora da Unidade Intensiva Neonatal (UTIN) do HIFA Maternidade, Dra. Aline Rodrigues e a Enfermeira Especializada em neonatologia, Cynthia coelho e contaram com apoio de diversos profissionais.

O objetivo, segundo a Dra. Aline Rodrigues, além de sensibilizar a equipe para o cuidado com o prematuro, é importante ressaltar a responsabilidade que envolve cuidar desses bebês e acolher as suas famílias, dando atenção principalmente às mães que são pegas de surpresa com a chegada de seus filhos antes da 37ª semana de gestação.

Continua depois da publicidade

“Desde que abrimos a maternidade de alto risco, a prematuridade e as suas complicações são as principais causas de internação na nossa UTIN. E aproveitar a oportunidade para qualificar e conscientizar a equipe, além de dar uma atenção especial a essas mães é primordial”, ressaltou.

Para a enfermeira Cynthia, falar sobre o tema é imprescindível. “A maioria das mães nunca entrou em uma UTI Neonatal, talvez nem tenham ouvido sobre e quando se dão conta estão ali dentro. É um momento de fragilidade, mas nós profissionais estamos aqui para acolher, dar todo suporte e transmitir segurança. A equipe está preparada para cuidar desse bebê”, disse.

Advertisement
Continua depois da publicidade

 

Mamãe feliz com a programação

“Eu tenho sete filhos, mas Emanuelly e Gabrielly foram as primeiras prematuras que nasceram através de parto normal com 35 semanas. Ao vê-las tão pequenas me desesperou, fiquei com medo e quando uma delas estava presa a um respirador foi um choque. Mas eu tinha esperança. E cada ganho de peso, cada obstáculo vencido me deixava mais tranquila. E viver essa semana diferente foi muito importante, pois por mais que eu já tenha outros filhos é tudo novo, muitas coisas eu ainda não sei, até pegar no colo requer cuidados especiais. Eu aprendi muito e me emocionei na semana de prematuridade.”

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.