Segurança

Caso Duramir: Justiça decide nesta quarta se réus vão a Júri Popular

COMPARTILHE
Duramir
1152
Advertisement
Advertisement

Uma Audiência de Instrução e Julgamento, referente ao ‘Caso Duramir’, está sendo realizada na tarde desta quarta-feira (23), no Fórum de Cachoeiro de Itapemirim. O crime, que aconteceu em 28 de junho deste ano, ganhou grande notoriedade em todo o Estado.

Advertisement
Continua depois da publicidade

O ciclista Duramir Monteiro Silva, de 56 anos, foi morto pelo próprio filho João Victor Brito Silva, de 24 anos, e pela nora, Beatriz Gazone de Azevedo, de 20 anos.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui >> https://rebrand.ly/gr1qdft

Na audiência, que começou às 13h e não tem hora para terminar, serão ouvidas testemunhas arroladas pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) e as testemunhas dos réus. A partir disso, se não houver recurso, o juiz decidirá, ainda nesta quarta, se o casal vai ou não à Júri Popular.

Caso Duramir

Continua depois da publicidade

Duramir morava no bairro Monte Cristo, em Cachoeiro de Itapemirim, com o filho e a namorada dele. No dia 28 de junho, por volta das 21h30, o ciclista chegou em casa após um pedal. Desde então, não foi mais visto.

No dia 4 de julho o mistério chegou ao fim. A polícia descobriu que a dupla havia matado Duramir a facadas e, depois, levado o corpo até a localidade de Estrela do Norte, em Castelo, em uma propriedade da família de Beatriz. No local, o cadáver foi jogado dentro de uma vala e incendiado.

A jovem ainda inventou que estava grávida, criou um caderno onde escreveu uma história falsa para enganar a polícia e até disse que o sogro a assediou. Essa última declaração, inclusive, foi desmentida durante as investigações.

Advertisement
Advertisement