Geral

Bloqueio em rodovia: Criança barrada a caminho de hospital passa por cirurgia

COMPARTILHE
16
Advertisement
Advertisement
Advertisement

O menino de 9 anos, barrado em protesto de caminhoneiros na BR-163, em Sorriso, quando seguia na última segunda-feira, 21, para a capital mato-grossense para atendimento médico, foi submetido a uma cirurgia de emergência no olho esquerdo nesta quarta-feira, 23, e passa bem, segundo boletim do Hospital de Olhos de Cuiabá (MT). Um vídeo que viralizou na redes sociais mostra o desespero do pai, o autônomo E.B.S, pedindo para que a ambulância onde estava o filho fosse liberada.

Continua depois da publicidade

A ambulância que transportava a criança e outros 24 passageiros, pacientes com procedimentos de saúde marcados, foi barrada em meio aos bloqueios de bolsonaristas radicais ao longo da BR-163 desde o dia 17.

A discussão entre o pai e os caminhoneiros foi gravada e no vídeo é possível perceber que o pai tentou negociar com o grupo, mas não obteve êxito. No vídeo é possível ouvir um homem gritando: “Vá a pé. De carro, não passa”. Ele tenta sensibilizar os caminhoneiros sobre a situação, mas outro homem diz: “Eu não tenho problema com seu filho. Pega um avião e vai. Aqui não vai passar”.

A situação ficou tensa e só acalmou quando outro filho de do autônomo, de 13 anos, chega chorando pedindo para o pai parar. A passagem da ambulância não foi liberada.

Continua depois da publicidade

Eles conseguiram chegar à capital de Mato Grosso depois de terem sido orientados pelo motorista de outra ambulância que já se encontrava após o bloqueio. “O motorista da outra ambulância viu nosso sufoco e veio orientar o motorista da ambulância onde estava meu filho”, disse o pai. “Era a passagem por uma estrada dentro de uma fazenda, o motorista conseguiu encontrar a estradinha, a cerca de 100 metros, e saímos lá na frente do bloqueio.”

A cirurgia

Com o impedimento, os pais da criança atrasaram para chegar ao hospital para cirurgia que deveria ter sido realizada na terça-feira. O procedimento, então, foi adiado para a quarta e transcorreu sem complicações, segundo o Hospital de Olhos de Cuiabá.

Advertisement
Continua depois da publicidade

A cirurgia, explicou o pai, demorou cerca de cinco horas e consistiu na retirada de catarata e drenagem de um coágulo identificado logo após o acidente sofrido em sala de aula, no dia 27 de setembro.

“No dia seguinte ao acidente, 28 de setembro, ele passou por uma cirurgia de reconstrução e fomos orientados a buscar um especialista para continuar com o tratamento porque além da região ser muito delicada, é um procedimento complicado”, contou. A família recorreu ao Ministério Público e conseguiu uma liminar, mas não estavam conseguindo vagas com o especialista e isso só foi possível quase dois meses depois.

A demora pode ter sido crucial para a visão do menino. Esse período de espera provocou uma pequena infecção no olho machucado. O garoto deveria ter sido submetido, além da retirada da catarata e drenagem do coágulo, a um implante de lente. “A equipe preferiu não realizar o implante agora porque foi encontrado, ‘escondidinho’ lá no fundo um restinho do grafite, e a equipe optou por esperar”, contou o pai.

Na próxima segunda-feira, a criança passará por mais uma avaliação com a equipe médica e só então a família terá noção de quando retorna a Cuiabá para, se tudo estiver certo, realizar o implante da lente. O garoto sofreu o acidente na escola quando um grafite perfurou seu olho esquerdo.

Redação
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.