Cidades

Morre neste domingo (23) o cantor e compositor Arnoldo Silva

COMPARTILHE
1115
Advertisement
Advertisement

Morreu na tarde deste domingo (23) o cantor e compositor, cachoeirense de coração, Arnoldo Silva, aos 90 anos de idade. Autor de 238 composições, o músico que nasceu em Castelo e foi registrado em Cachoeiro de Itapemirim, teve uma vida entoada por canções, sempre com muita disposição para divulgar a música popular brasileira.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Arnoldo estava doente há algum tempo e chegou a ficar internado. Seu estado de saúde foi piorando e neste domingo ele não resistiu. Anda não temos informações sobre o velório e sepultamento.

Um apaixonado pela música

Arnoldo Silva, ou “Menininho”, como era popularmente conhecido, compôs 238 músicas entre hinos oficiais, homenagens, samba e marchinhas; e tem no currículo parcerias com cantores como Odair José, Wanderley Cardoso e outros grandes nomes da música nacional que o ajudaram a levar sua obra até para o exterior. Alguns de seus sucessos foram eternizados na voz de grandes artistas como Elza Soares, Martinho da Vila e Agnaldo Timóteo.

Continua depois da publicidade

Os prêmios ao longo da carreira são inúmeros: 54 troféus ao todo. Entre os quais, festivais de música, sambas-enredo premiados com notas 10, no Rio de Janeiro, São Paulo e Petrópolis. Em 1987, morando no Rio de Janeiro, recebeu o título de “Cachoeirense Ausente”, título criado por Newton Braga para homenagear os conterrâneos que moravam fora mas tinham forte ligação com a cidade;

Ainda menino, Arnoldo fugiu de casa aos 10 anos para viver de música no Rio de Janeiro e conseguiu encontrar o tom para prosseguir, formando grandes parcerias com cantores como Odair José, Wanderley Cardoso, dentre outros que levaram a obra do artista até para o exterior.

Em 2018, Arnoldo teve seu acervo pessoal exposto na Sala Levino Fanzeres, no Palácio Bernardino Monteiro, com a mostra, intitulada “Contos, Cantos e Encantos”. Foram mostrados ao público itens como discos, reportagens, homenagens, troféus, livro. Na ocasião, o artista expressou todo seu amor pela música. “Minha música é meu norte, não perco o tom e seguir em frente é preciso. Me enche de emoção ver as pessoas conhecendo minhas obras mais de perto”.

Advertisement
Continua depois da publicidade

 

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.