Política Regional

Lei Orçamentária Anual do Espírito Santo prevê orçamento de R$ 22,5 bilhões em 2023

COMPARTILHE
Foto: Freepik
95
Advertisement
Advertisement

Está na Comissão de Finanças o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2023. A matéria estima as receitas e fixa as despesas do Estado em R$ 22.507.308.118, conforme previsto no orçamento fiscal e da seguridade social. Esse valor é 11% maior quando comparado à peça orçamentária de 2022, de R$ 20.273.774.984.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Há R$ 1.090.661.729 de orçamento de investimento – realizados por empresas públicas e sociedades de economia mista das quais o Executivo é sócio majoritário. Quando somado ao orçamento fiscal e da seguridade, esse valor chega a R$ 23.597.969.847 de valor global. Os investimentos previstos pelo Executivo e demais poderes e órgãos totalizam R$ 2.793.463.474.

No argumento do projeto, o governo justifica a adoção de medidas restritivas durante a pandemia e destaca o início da campanha de vacinação, que permitiu a volta da atividade econômica, sobretudo a partir de 2021, quando o Espírito Santo teve “surpreendente” recuperação econômica, incluindo as três principais receitas: ICMS, Fundo de Participação dos Estados (FPE) e Royalties e participações especiais.

“Esta proposta orçamentária foi elaborada assumindo como diretrizes para 2023 o equilíbrio fiscal, o fortalecimento das políticas públicas e a celeridade na execução dos investimentos programados, zelando pelo cumprimento dos limites fixados na Lei de Responsabilidade Fiscal, observando os princípios da gestão fiscal transparente, eficiente e focada em resultados”, defende o governador Renato Casagrande (PSB).

Continua depois da publicidade

De acordo com o Projeto de Lei (PL) 457/2022, a verba para o Judiciário, Legislativo, Ministério Público e Defensoria Pública ficou da seguinte maneira:

Correção do IPCA

A verba repassada aos poderes e órgãos públicos foi corrigida em 11,89%, Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) calculado entre julho de 2021 e junho de 2022. No entanto, a aplicação dessa variação não necessariamente corresponde aos números acima.

Advertisement
Continua depois da publicidade

No caso da Assembleia Legislativa, o reajuste resultou em orçamento de R$ 272.957.903, ou seja, maior do que o encontrado no orçamento fiscal e da seguridade.

Mas na prática, a peça orçamentária separa esse valor em recursos livres (R$ 232.826.405) e os usados para cobertura de insuficiência do Fundo Financeiro (R$ 40.114.000). Essa verba é carimbada e vai direto para o IPAJM (veja mais abaixo), por isso não entra na tabela comparativa do orçamento fiscal e da seguridade.

A mesma lógica se aplica ao Tribunal de Contas. A correção do IPCA acarretou em orçamento total do órgão de R$ 211.801.510: são R$ 174.994.345 de recursos livres e R$ 36.807.165 para o Fundo Financeiro.

TJ e MPES

A verba de R$ 1.355.279.491 do Tribunal de Justiça (TJ-ES) que aparece na tabela de orçamento fiscal e da seguridade inclui o Fundo Especial do Judiciário, (R$ 227.375.000,00) e recursos de operação de crédito (R$ 14.760.000,00), sobre os quais não se aplica o IPCA.

No caso do TJ-ES, o orçamento corrigido pelos 11,89% chegou R$ 1.348.740.228, subdividido em recursos para o IPAJM (R$ 235.595.737) e de livre alocação (R$ 1.113.144.491).

Com os 11,89% do IPCA, o orçamento do Ministério Público do Estado (MPES) passou para R$ 502.774.441. Desse total, R$ 455.952.476 são livres e R$ 46.821.965 para compor a Previdência estadual.

O orçamento fiscal e da seguridade, de R$ 479.112.476, é maior leva em conta R$ 22.800.000 do Fundo Especial do Ministério Público e o Fundo Estadual de Reparação de Interesses Difusos Lesados, de R$ 360.000, sobre os quais não é calculado o percentual de reajuste.

Por fim, a Defensoria Pública teve seu orçamento corrigido para R$ 110.193.523: R$ 83.778.290 livres e R$ 26.415.233 destinados para o Fundo Financeiro.

Os R$ 110.453.290 apresentados no orçamento fiscal e da seguridade incluem R$ 26.674.000 do Fundo de Aparelhamento da Defensoria Pública – excluído do reajuste de 11,89%.

Fundo financeiro

O Fundo Financeiro foi constituído pela Lei Complementar 282 e contempla o pagamento de benefícios previdenciários a servidores públicos da ativa e os aposentados até 26 de abril de 2004, data de publicação da legislação.

Fazem parte do fundo as contribuições mensais obrigatórias de 14% recolhidas junto ao IPAJM por funcionários ativos e inativos, além das contribuições mensais dos poderes e órgãos estaduais no mesmo percentual.

Segundo a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2022 – Lei 16.772/2021 – em seu artigo 14, em caso de insuficiência financeira do Fundo Financeiro os recursos do tesouro já serão carimbados na LOA para essa finalidade.

Executivo

O orçamento fiscal e da seguridade social do Executivo é de R$ 20.154.642.111. As maiores verbas são reservadas às secretarias estaduais da Saúde (Sesa), de Educação (Sedu), de Segurança Pública (Sesp) e de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi).

Concursos

Há previsão orçamentária para a realização de concursos na Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Ministério Público e Defensoria Pública. Há uma rubrica no orçamento do Tribunal de Contas que projeta “pagamento de pessoal decorrente do provimento de novos cargos”.

No Executivo, a LOA 2023 sugere a realização de concurso em 20 secretarias e órgãos:

  • Secretaria de Estado de Controle e Transparência
  • Procuradoria-Geral do Estado (PGE)
  • Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz)
  • Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger)
  • Instituto de Tecnologia de Informação e Comunicação do Estado (Prodest)
  • Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf)
  • Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper)
  • Agência de Regulação de Serviços Públicos (Arsp)
  • Departamento de Edificações de Rodovias (DER)
  • Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema)
  • Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh)
  • Secretaria de Estado da Educação (Sed)
  • Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames)
  • Corpo de Bombeiros
  • Polícia Militar
  • Polícia Civil
  • Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon)
  • Secretaria de Estado da Justiça (Sejus)
  • Instituto de Atendimento Socioeducativo (Iases)
  • Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Espírito Santo (IPAJM)

As informações constam no Anexo II do projeto de lei, que detalha as dotações orçamentárias.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.