Espírito Santo

Investimentos anunciados no Espírito Santo superam R$ 50 bilhões até 2026

COMPARTILHE
Espírito Santo mantém Nota A do Tesouro Nacional
Foto: Reprodução
126
Advertisement
Advertisement

O Espírito Santo deve receber mais de R$ 50 bilhões em investimentos públicos e privados até 2026. É o que mostra o estudo “Investimentos Anunciados e Concluídos para o Espírito Santo 2021-2026”, que foi apresentado pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), na manhã desta terça-feira (27). A publicação reúne todos os projetos públicos e privados com valor individual igual ou superior a R$ 1 milhão a serem feitos no Estado no período 2021-2026.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Segundo o levantamento, os valores anunciados pela iniciativa privada e pelo setor público cresceram cerca de 10% em relação à carteira anterior, que previa investimentos de R$ 45,4 bi. Todo esse montante está distribuído em 717 projetos espalhados nas dez microrregiões e nos 78 municípios capixabas. Deixam a carteira os projetos já concluídos entre 2021 e 2022, que somaram R$ 3,8 bilhões.

Entre os destaques para o período estão os investimentos anunciados pelo setor Industrial, que representam 93,7% do volume. Ao todo, estão previstos investimentos na ordem de R$ 46,9 bilhões em empreendimentos, sendo a indústria da Construção responsável por R$ 29,3 bilhões, a indústria Extrativa por R$ 8,8 bilhões, e a de Transformação pela injeção de R$ 7,6 bilhões no período. Serão 422 projetos, alcançando valor médio de R$ 111 milhões cada.

Para o grande setor Comércio, serviços e administração pública, foram anunciados investimentos que chegam a R$ 3,1 bilhões, distribuídos em 294 projetos. Isso corresponde a 6,2% dos investimentos anunciados para o período 2021-2026. O setor representa a soma de dez setores, nas quais encontram-se em grande parte os investimentos em saúde, educação, segurança pública, assistência social, alojamento e alimentação, administração pública, atividades imobiliárias, transportes e armazenagem, comércio, cultura, esporte e lazer.

Origem do capital

Continua depois da publicidade

O capital Privado Nacional lidera o volume de investimentos com 72,8%, o que corresponde a R$ 36,4 bilhões, destinados a empreendimentos ligados, em especial, ao transporte rodoviário, construção civil para fins comerciais e residenciais, terminais portuários, logística, geração e transmissão de energia elétrica, siderurgia e metalurgia, saneamento básico, indústria alimentícia e projetos industriais de diversos setores.

Em relação ao investimento público, o estudo apontou crescimento neste segmento no período 2021-2026 em relação à carteira anterior. De acordo com o relatório, 18,2% do total previsto em investimentos para Estado tem origem no setor público, somando aproximadamente R$ 9,1 bilhões. Na publicação anterior os números eram 16,8% e 7,6 bilhões, respectivamente.

O dinheiro público estará presente em 513 obras, entre as instâncias municipal, estadual e federal. Entre os projetos estão melhorias na mobilidade rodoviária urbana e rural, melhorias no sistema de saneamento urbano e macrodrenagem, habitação, saúde, infraestrutura logística, educação e segurança pública.

Advertisement
Continua depois da publicidade

O capital misto representou 4,7% dos investimentos previstos, com R$ 2,4 bilhões que serão destinados à exploração e produção de petróleo e gás natural, além de parcerias público privadas na área da construção civil. O capital estrangeiro representou 4,3% do total, chegando a R$ 2,2 bilhões em projetos voltados à exploração e produção de petróleo e gás natural tanto em terra quanto no mar, na modernização da logística portuária para movimentação de cargas e turismo náutico, além de um investimento na área da saúde com a ampliação de um laboratório para produção de medicamentos.

Desenvolvimento Regional

Ainda de acordo com a publicação, a Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV) segue liderando o volume de investimentos anunciados. São 273 projetos, em especial, nas áreas de construção, indústria, saúde e transporte, que somam R$ 22,1 bilhões em aportes, correspondendo a 44,2% do total para o Estado.

Na sequência estão as microrregiões Litoral Sul, com investimentos previstos da ordem de R$ 12,7 bilhões para os próximos anos (25,3%), distribuídos em 49 projetos, e a Microrregião Rio Doce, com investimentos de aproximadamente R$ 9,0 bilhões (18,9%), espalhados em 86 projetos. As demais regiões capixabas somam 11,6% do volume, divididos em 309 projetos.

O conteúdo completo pode ser acessado no painel interativo “Investimentos Anunciados e Concluídos para o Espírito Santo 2021-2026”, hospedado no site do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

Advertisement