Política Nacional

Erika Hilton aponta 'desinformação' e pede exclusão de posts de Carla Zambelli

COMPARTILHE
28
Advertisement
Advertisement
Advertisement

A deputada estadual de São Paulo Erika Hilton, que concorre a uma vaga na Câmara dos Deputados nas Eleições 2022, pediu ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo que determine a retirada de publicações feitas pela deputada federal bolsonarista Carla Zambelli ‘com ‘desinformação sobre as urnas eletrônicas’. Além da ordem de exclusão da ‘propaganda mentirosa’, sob pena de multa de R$ 50 mil por dia, a representação requer que Zambelli seja impedida ‘de veicular outras fake news sob pena de suspensão integral de seus perfis’.

Continua depois da publicidade

As advogadas da campanha de Erika se insurgem contra vídeo com o título ‘manipulação das urnas no sindicato dos trabalhadores’. A gravação se refere à cerimônia de preparação das urnas em Itapeva, no interior paulista e foi publicada no Facebook e no Twitter da bolsonarista.

As advogadas dizem que a mensagem que acompanha o vídeo ‘visa evidentemente causar um verdadeiro colapso eleitoral, ao levar mensagens completamente inverídicas à população como forma de desestabilizar a corrida eleitoral’.

“O ataque à regularidade do processo eleitoral tem repercussão nefasta na legitimidade do pleito, na estabilidade do Estado Democrático de Direito e na confiança dos eleitores nas eleições”, diz trecho da petição.

Continua depois da publicidade

O episódio levou o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo a emitir uma nota de esclarecimento sobre a cerimônia de preparação das urnas na cidade do interior paulista. Segundo a corte eleitoral, servidores foram ameaçados por uma moradora que questionava a lisura do procedimento, que era realizado em espaço ao lado do cartório eleitoral.

De acordo com a nota do TRE, por falta de espaço físico no cartório eleitoral da cidade, o procedimento de carga e lacração das urnas eletrônicas é realizado, desde 2014, em local vizinho, o sindicato dos trabalhadores na indústria da construção, do mobiliario, cimento, cal, gesso e montagem industrial de Itapeva.

“O procedimento realizado no Sinticom, de carga e lactação das urnas eletrônicas, foi acompanhado pela Justiça Eleitoral e fiscalizado por várias entidades. Não existe qualquer risco de adulteração na programação nesse processo”, ressaltou o TRE-SP.

Advertisement
Continua depois da publicidade

COM A PALAVRA, CARLA ZAMBELLI

Até a publicação deste texto, a reportagem buscou contato com a deputada, mas sem sucesso. O espaço está aberto para manifestações.

Pepita Ortega
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement