Geral

Thiago Brennand desobedece ordem judicial e não entrega passaporte

COMPARTILHE
18
Advertisement
Advertisement
Advertisement

O empresário Thiago Antonio Brennand Tavares da Silva Fernandes Vieira, acusado por ao menos dez mulheres dos crimes de lesão corporal, ameaça, estupro e cárcere privado, descumpriu a determinação da Justiça de que entregasse seu passaporte em cartório até a última sexta-feira, 23. No último dia 4 ele viajou a Dubai e, até este momento, seu paradeiro é desconhecido.

Continua depois da publicidade

A informação de que ele não comunicou o retorno ao país foi confirmada pela advogada Gabriela Manssur nas suas redes sociais na manhã desta segunda-feira, 26. Ela, que atua acompanhando as vítimas por meio do projeto Justiceiras, confirmou ter solicitado a prisão preventiva de Brennand e que o processo deve ser encaminhado ao Ministério Público para manifestação a respeito desse pedido.

O empresário ganhou as páginas dos noticiários depois de ser flagrado por câmeras de segurança agredindo a modelo Helena Gomes em uma academia dentro de um shopping center em São Paulo. O caso foi revelado pelo programa Fantástico, da TV Globo. Desde então, várias outras mulheres sentiram-se encorajadas a denunciar Brennand por crimes dos quais foram vítimas.

A possibilidade de decretação da preventiva do empresário já fora apontada na decisão que determinava seu retorno ao Brasil. A ordem, assinada pela juíza Érika Soares de Azevedo Mascarenhas, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, obriga Brennand a se apresentar em juízo todos os meses, pedir autorização para sair do país e veda que ele frequente quaisquer academias em todo o território nacional.

Continua depois da publicidade

A assessoria de imprensa do MP disse ao Estadão que não pode repassar informações mais detalhadas do caso por causa do segredo de justiça. Contudo, até a publicação desta reportagem, não havia ordem prisional em nome de Brennand no site do Banco Nacional de Mandados de Prisão.

Nesta segunda-feira também começaram a ser ouvidas pelo MP de São Paulo as primeiras vítimas. Além de Manssur, o escritório Janjacomo Advogados também assessora mulheres que foram agredidas pelo empresário.

COM A PALAVRA, THIAGO BRENNAND

Advertisement
Continua depois da publicidade

A reportagem entrou em contato com os dois escritórios que hoje representam Thiago Brenannd – Carlos Barros & Gustavo Rocha Advocacia Criminal, em Recife, e Alves de Oliveira & Salles Vanni Sociedade de Advogados, em São Paulo. Contudo, até a publicação desta reportagem, não obteve resposta. A palavra está aberta.

Isabella Alonso Panho, especial para o Estadão
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.