Política Nacional

Michelle ignora Flávia e diz que Damares é a candidata de Bolsonaro ao Senado

COMPARTILHE
24
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Em meio à disputa entre Damares Alves (Republicanos) e Flávia Arruda (PL) por uma vaga no Senado pelo Distrito Federal, a primeira-dama Michelle disse nesta sexta-feira, 23, que a candidata do presidente Jair Bolsonaro (PL) é a ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. O próprio chefe do Executivo, contudo, não se pronunciou publicamente sobre a divisão do bolsonarismo no DF.

Continua depois da publicidade

“O meu voto e da minha família é de Damares Alves. E os meus candidatos são os candidatos do meu marido Jair Messias Bolsonaro. Hoje eu louvo e agradeço a Deus pela vida da minha irmã, a minha amiga, a minha eterna ministra e a minha futura senadora do Distrito Federal Damares Alves”, disse Michelle, durante evento de campanha num hotel em Brasília.

“Não mexam com ela. Se mexer com ela, você vai mexer comigo. Eu sempre falo que a dor da Damares é a minha dor e a alegria da Damares é a minha alegria. Meus irmãos tenham muito cuidado com os lobos que estão vestidos em peles de cordeiros”, emendou a primeira-dama.

Michelle tem feito campanha para Damares, que é candidata ao Senado em chapa avulsa e enfrenta Flávia Arruda, do PL de Bolsonaro. Ainda assim, a pastora decidiu apoiar a candidatura à reeleição do governador Ibaneis Rocha (MDB), que formou chapa com Flávia.

Continua depois da publicidade

A volta de Damares à corrida pelo Senado foi mais um capítulo da cisão do bolsonarismo no DF. Por intervenção direta do presidente da República, a pastora teve de abandonar sua candidatura na aliança formal com Ibaneis. Acabou resgatado o acordo firmado em 2021 entre o chefe do Executivo local e Flávia Arruda. A costura deixou a ex-ministra da Mulher sem espaço e irritou o Republicanos, que apoia a reeleição de Bolsonaro.

O Broadcast Político adiantou em 27 de julho que o Republicanos havia se irritado com o presidente e negociava lançar Damares em chapa avulsa. A candidatura da pastora foi oficializada em 5 de agosto, com apoio do União Brasil, que indicou o presidente do partido no DF, Manoel Arruda, como suplente.

Em 18 de agosto, Bolsonaro começou a pedir votos para candidatos ao Senado e a governos estaduais durante sua tradicional live de quinta-feira, mas evitou endossar nomes específicos nos Estados onde há palanque duplo, como é o caso do DF, com Damares e Flávia. Na pesquisa Ipec divulgada nesta quarta-feira, 21, a ex-ministra da Secretaria de Governo apareceu com 28% dos votos, contra 21% da pastora.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Iander Porcella
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here