Política Nacional

Bolsonaro volta a fazer ameaça velada ao STF e diz que povo manda na República

COMPARTILHE
20
Advertisement
Advertisement
Advertisement

A nove dias do primeiro turno, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), voltou a fazer ameaças veladas ao Supremo Tribunal Federal (STF). Em comício na cidade de Divinópolis (MG), o candidato à reeleição disse que “ninguém manda” na República, a não ser o povo. “E a vontade desse povo se fará presente após as eleições em toda a sua plenitude”, declarou.

Continua depois da publicidade

No discurso a apoiadores, Bolsonaro também voltou afirmar que “todos jogarão dentro das quatro linhas da Constituição”, se ele for reeleito. O presidente costuma usar essa expressão para se referir a ministros do Supremo.

“O meu governo sempre jogou dentro das quatro linhas da Constituição. Em havendo a reeleição, todos, sem exceção, jogarão dentro das quatro linhas da Constituição. Ninguém é dono de nada aqui, eu não mando na Presidência da República, tenho limites”, disse o candidato. “O prefeito aqui não manda na cidade, tem limites. Assim é dentro de cada Poder. Ninguém manda na República, a não ser o nosso povo. E a vontade desse povo se fará presente após as eleições em toda a sua plenitude”, emendou Bolsonaro.

Numa estratégia para evitar o desânimo da militância, num momento em que seu principal adversário na eleição, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), busca o voto útil para decidir o pleito no primeiro turno, Bolsonaro afirmou, mais uma vez, que vai vencer no primeiro turno, embora as pesquisas de intenção de voto não apontem essa possibilidade.

Continua depois da publicidade

“Nós somos a maioria, nós venceremos em primeiro turno. Não existe eleição sem povo nas ruas. A gente não vê nenhum dos outros candidatos fazendo um comício sequer que se aproxime a 10% do povo que tem aqui”, declarou Bolsonaro.

A campanha bolsonarista tem intensificado o movimento para descredibilizar os institutos de pesquisa, que mostram Lula como favorito para vencer a disputa pelo Palácio do Planalto. Para se contrapor ao Datafolha, aliados do chefe do Executivo falam em “Datapovo”, numa referência à militância bolsonarista, uma parcela do eleitorado, que comparece aos comícios e foi às ruas no 7 de setembro.

Em Divinópolis, Bolsonaro também atacou os oposicionistas. “Hoje não temos oposição, temos bandidos que querem o mal de sua população. Vamos derrotar esse pessoal nas urnas agora no próximo dia 2 de outubro”, afirmou.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Iander Porcella
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here