Política Regional

Três dos sete candidatos ao Governo do Espírito Santo nasceram em outros Estados

COMPARTILHE
Vitória Minas e Rio
Fotos: reprodução/internet
221
Advertisement
Advertisement

Muitos candidatos aos governos nasceram fora dos Estados que tentam comandar. É o que mostra um levantamento feito pelo jornal O Globo, com base nos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Os dados apontam que 30% dos candidatos tentam a eleição fora de seus Estados de origem. No Espírito Santo, não é diferente.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Dos sete nomes que concorrem ao Palácio Anchieta, três vieram “de fora”: Aridelmo (Novo), nasceu em Governador Valadares, Minas Gerais. Também mineiro, Capitão Vinícius Sousa (PSTU) é natural de Belo Horizonte. Já Cláudio Paiva (PRTB) nasceu no Rio de Janeiro. Os demais candidatos, Manato (PL), Guerino Zanon (PSD), Renato Casagrande (PSB) e Audifax (Rede) nasceram em Alegre, Linhares, Castelo e Serra.

Entre os vices, a história muda. Apenas Marco Aurélio (PRTB), vice de Cláudio Paiva, nasceu fora das terras capixabas. Ele é natural da cidade de São Gabriel da Cachoeiro, no Amazonas. Camila Domingues (Novo), vice de Aridelmo, e Ricardo Ferraço (PSDB), vice de Casagrande, são cachoeirenses, Tentente Andresa dos Bombeiros (Solidariedade), vice de Audifax, é vilavelhense e os demais nasceram em Vitória: Marcus Magalhães (PSD), vice de Guerino, Bruno Lourenço (PL), vice de Manato e Soraia Chiabai (PSTU), vice de Capitão Vinícius Sousa.

País afora

No país, o Mato Grosso é o Estado com mais postulantes de fora do Estado. Todos os quatro que disputam o governo são de outros Estados. No outro extremo, os Estados com menos candidatos de fora são Rio Grande do Sul, Pernambuco, Maranhão, Alagoas e Ceará, cada um com um candidato de outro Estado.

Continua depois da publicidade

 

 

Advertisement
Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here