Saúde e Bem-Estar

Conheça os fatores que contribuem para as alterações nas taxas de colesterol em crianças

COMPARTILHE
colesterol crianças
176
Advertisement
Advertisement

Hábitos alimentares desregrados, falta de atividade física regular e excesso de tempo em frente às telas. No mês em que é lembrado o dia mundial do combate ao colesterol alto, a médica cardiopediatra Andressa Mussi Soares falou sobre como esses, e outros fatores contribuem para o aumento da incidência dessa alteração em crianças e adolescentes.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Segundo informações da especialista, o público infantil já atingiu a marca dos 40% da população que apresenta alterações nas taxas de referência do colesterol. Seja ela no aumento do LDL (colesterol ruim) ou na diminuição do HDL (colesterol bom).  Comparado a população adulta do país, o indicador se iguala. Em homens e mulheres brasileiros, a taxa varia entre 38% e 42%. “O dia 08 de agosto marca essa luta. É uma data de grande importância para prevenção e conscientização da gravidade da doença cardiovascular, que hoje é a doença que mais mata no nosso país, sendo uma consequência de patologias como a aterosclerose, que é a obstrução que pode acontece insidiosamente desde de a vida fetal até a vida adulta”.

Andressa

Andressa reforça que é necessário mudar esse cenário “O risco de elevação do infarto do miocárdio em crianças e adultos jovens é real caso não haja redução nos indicadores”.

Continua depois da publicidade

E para possibilitar a mudança desse quadro alguns hábitos saudáveis devem ser adotados. “Proporcionar às nossas crianças uma alimentação rica em verduras, legumes e fibras. Evitar gorduras trans e gorduras saturadas. Incentivar atividades físicas de intensidade moderada; criança precisa suar. Ela pode se exercitar jogando bola, dançando uma música que gosta entre outras atividades saudáveis e prazerosas. Assim, o metabolismo é ativado, melhorando a condição cardiovascular. Diminuir o tempo de tela. As crianças não devem passar mais de duas horas em frente à tela. Seja ela do computador, celular ou televisão. Esse excesso traz consequências prejudiciais à saúde cardiovascular dessas crianças”, explica.

A médica cardiopediatra atua no Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim, deixa um importante recado à família: “Nossos filhos são nossos bens mais preciosos e podemos fazer muito por eles. Como cardiologista pediátrica, eu peço a todos que abracem essa causa. Juntos nós poderemos dar um não ao colesterol ruim, melhorar o colesterol bom e fazer com que nossas crianças vivam saudáveis”.

Cardiologia no HECI

Advertisement
Continua depois da publicidade

O setor de Cardiologia presta serviço de diagnóstico e tratamento, oferecendo atendimento humanizado e com alto padrão de qualidade para crianças a adultos.

Com equipamentos de última geração, inclusive para hemodinâmica, o setor conta com Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e Unidade Coronariana (UCO) com confortáveis apartamentos no caso de internação. Aspectos que contribuem para que o HECI seja reconhecido como referência no atendimento à saúde cardiológica da população capixaba.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.