Geral

Ciclone extratropical com ventos de mais de 90 km/h causa estragos no Rio de Janeiro

COMPARTILHE
Ventos ciclone Rio de Janeiro
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
507
Advertisement
Advertisement

O deslocamento do ciclone extratropical, que já passou por Santa Catarina e São Paulo, trouxe rajadas fortes de vento e estragos desde o início da madrugada desta quinta-feira (11) ao município do Rio de Janeiro.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), entre 4h e 5h a velocidade dos ventos atingiu 93,6 quilômetros por hora (km/h) na estação Forte de Copacabana, na zona sul da cidade. No mesmo local entre 2h e 3h da madrugada foi registrado vento de 76,7 km/h.

Outra região muito atingida foi a da estação Marambaia, na zona oeste, onde a velocidade dos ventos chegou a 84,2 km/h, segundo o Inmetm, entre 4h e 5h. A previsão para o Estado é de que as rajadas podem chegar a 100 km/h ao longo do dia.

Há registros de quedas de árvores em vários pontos da cidade. A ventania trouxe também apreensão a quem precisou sair de casa, por causa dos riscos de ser atingido por galhos e pedaços de objetos e até de telhas de coberturas de casas.

Continua depois da publicidade

De acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro (COR), o tempo vai permanecer instável na cidade ao longo do dia, em consequência do deslocamento de um sistema de baixa pressão associado à frente fria no oceano.

“O dia terá predomínio de céu nublado, com chuvisco/chuva fraca isolada a qualquer momento do período. Os ventos estarão moderados a fortes até a tarde e as temperaturas ficarão em declínio em relação ao dia anterior, com mínima de 16°C [graus Celsius] e máxima de 25°C”, informou o COR.

Ressaca

Além dos ventos fortes, a orla do estado registra ondas de até 4 metros (m). A ressaca que começou na quarta-feira (10) às 9h, segundo o aviso da Marinha, vai seguir até às 21h de sexta (12).

Advertisement
Continua depois da publicidade

As recomendações para evitar acidentes são não tomar banhos e nem praticar esportes no mar, não ficar à beira da orla ou em mirantes. A população deve evitar a navegação e as atividades de pesca, não pedalar na orla e não tentar resgatar vítimas de afogamento. Em caso de emergência, deve-se acionar os Bombeiros (193) e a Defesa Civil (199).

“Esse ciclone, que já vinha se formando, era observado nos últimos dias. No Rio, a chuva não vai ser com intensidade. Não é chuva em quantidade. Fizemos um aviso de acumulados de chuva que podem ser de 20 [milímetros] a 30 mm em uma hora e a situação de queda de temperatura. O Rio já estava há alguns dias declinando a temperatura, entre 22°C e 26°C, o que deve permanecer entre hoje e amanhã com temperatura de 22°C”, disse a meteorologista do Inmet, Marlene Leal, acrescentando que para o fim de semana, a previsão é de tempo bom, já que o ciclone terá se deslocado em direção ao oceano.

“No caso desse ciclone, ele ficou bem tangente à Região Sul do país e veio se deslocando em direção a São Paulo e o Rio de Janeiro, daí os ventos bem fortes”, completou.

Advertisement