Cidades

Antibióticos, antialérgicos e até xaropes: falta de remédios atinge farmácias de Cachoeiro

COMPARTILHE
falta de remédios Deve ser votado em caráter de urgência no Congresso Nacional nos próximos dias o projeto de lei de número 1774/19, que prevê a liberação da
218
Advertisement
Advertisement

A falta de medicamentos importantes, como antibióticos, antialérgicos, xaropes e até mesmo analgésicos têm deixado as farmácias de Cachoeiro de Itapemirim de prateleiras vazias. Segundo um farmacêutico, que preferiu não se identificar, há uma lista com pelo menos 30 remédios importantes que estão em “falta crônica”.

Advertisement
Continua depois da publicidade

“Temos grupos no whatsapp que trocamos informações e, alguns medicamentos estão em falta em toda a cidade. Por exemplo, antialérgicos pediátricos, está muito difícil conseguir. Nós sabemos que muitos médicos estão cientes dessa escassez e fazem a receita observando o que pode ser encontrado”, afirma o farmacêutico, salientando que não há previsão para que a distribuição retome ao normal.

Uma mãe, que tentava comprar um antialérgico para a filha, contou que já havia passado por cinco farmácias e não havia encontrado o remédio que precisava. A mulher, que preferiu não ter o nome divulgado, afirmou que em todos os lugares a resposta é a mesma. “Todos dizem estar difícil encontrar e que, ao que sabem, não há previsão de chegada desses remédios. Um farmacêutico disse, inclusive, que muitas farmácias mantêm contato entre si para que possam orientar os pacientes onde podem encontrar um ou outro fármaco”.

O sumiço de medicamentos não é exclusividade de Cachoeiro. Uma pesquisa feita em maio e junho, com 2,5 mil prefeituras do país, pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) aponta que quase 80% das cidades brasileiras têm falta de medicamento para atender à população. Dos municípios que apontaram desabastecimento, 68% indicaram a falta do antibiótico amoxicilina e 66% têm ausência de dipirona, que é um anti-inflamatório, analgésico e antitérmico.

Continua depois da publicidade

Na ocasião, em nota, o Ministério da Saúde afirmou que trabalha junto com Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Estados, municípios e indústria para enfrentar o desabastecimento. Uma das medidas citadas é a resolução que libera os preços de medicamentos com risco de desabastecimento no mercado. Outra é a inserção de remédios na lista de redução do imposto de importação, como a dipirona.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here