Política Nacional

Bolsonaro: Fui convidado à igreja da Lagoinha, nem sabia de Guilherme de Pádua

COMPARTILHE
39
Advertisement
Advertisement
Advertisement

O presidente Jair Bolsonaro negou que tenha se encontrado, no último domingo (7), com o pastor Guilherme de Pádua na Igreja da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG). Em entrevista na manhã deste sábado ao Podcast Cara a Tapa, de Rica Perrone, Bolsonaro foi questionado sobre a foto da primeira-dama Michelle Bolsonaro com a esposa do pastor, Juliana Lacerda Pádua.

Continua depois da publicidade

“Fui convidado (à Igreja da Lagoinha), nem sabia de Guilherme de Pádua. Cheguei, me deram a palavra, falei pouquíssimos minutos ali. Antes de acabar, voltei para Brasília e minha esposa ficou. Eu não fiquei para almoçar, Michelle ficou”, afirmou o presidente.

A informação de que Michelle e Bolsonaro teriam se encontrado com Guilherme de Pádua e Juliana Lacerda foi divulgada pelo site Em Off, que publicou a foto entre as duas. O presidente estava no local, a Igreja Batista de Lagoinha, mas não aparece na foto. O evento marcou a celebração do “Jubileu de Ouro” do pastor Márcio Valadão, que completou 50 anos de ministério na igreja.

Depois da publicação da foto, Juliana Lacerda chegou a se manifestar nas suas redes sociais negando ser amiga íntima da primeira-dama. “Eu nunca troquei uma palavra sequer com ela. Nunca mesmo. Ela nem sabia quem eu era. Ela simplesmente foi lá, gentil que é, uma pessoa extremamente simples, uma mulher de Deus, porque eu sou fã, e ela tirou essa foto comigo, como todos ali, naquela fila, naquela comemoração”, contou.

Continua depois da publicidade

Bolsonaro contou que, depois da divulgação da matéria, ele questionou Michelle sobre a foto e ela explicou que tirou umas 100 fotografias na igreja e não sabia quem era Juliana e nem quem tirou a fotografia. Ele disse ainda que, pelo que ficou sabendo, Guilherme de Pádua nem esteve na igreja. “Agora não sei quantos membros tem na igreja, alguns milhares. Agora, vou na sua igreja vou ter que saber quem são os milhares de pessoas estão lá?”, disse. O presidente disse que está analisando com seu advogado se é o caso de processar o site que publicou a matéria.

Guilherme de Pádua foi condenado pelo assassinato de Daniella, filha da escritora Glória Perez, em 1992. Na época, ambos protagonizavam a novela “De Corpo e Alma”, escrita por Glória. O caso voltou à tona recentemente por causa do lançamento da série “Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez”, da HBO Max.

Thaís Barcellos
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here