Segurança

Detalhes sobre assassinato de mãe e filho, em Jerônimo Monteiro, tornam caso ainda mais perverso

COMPARTILHE
Polícia Civil divulga horário de atendimento durante ponto facultativo de Corpus Christi no Espírito Santo - homem
Foto: Rafaela Thompson
6170
Advertisement
Advertisement

A Polícia Civil divulgou, na quinta-feira (21), que prendeu a mulher, 56 anos, que mandou matar a mãe, de 80 anos, e o irmão, de 58, em Jerônimo Monteiro. Os detalhes dessa tragédia deixam o caso ainda mais perverso.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Um dos pontos que mais chamam atenção é a brutalidade do crime, já que Maria José de Paula e Euzenir Ramos de Paula foram mortos a pauladas. Depois de certificar que as vítimas estavam mortas, o executor, preso em Divino de São Lourenço, e o intermediário, preso em Jerônimo Monteiro, atearam fogo nos corpos a fim de “sumir com os vestígios”, ordem dada pela mandante do crime.

Segundo a polícia, o cão de estimação da idosa também foi morto e carbonizado junto às vítimas. Os corpos foram queimados sob fogo intenso dentro da fazenda onde mãe e filho residiam, em Lajinha, no interior do município. A queima dos cadáveres, segundo depoimento de um dos acusados, durou cerca de quatro horas.

Motivação

De acordo com as investigações, a mandante teria prometido como forma de pagamento o carro Fiat Strada, que era da vítima, no valor de R$ 45 mil e mais R$ 20 mil em dinheiro, que seriam arrecadados com a venda de dez cabeças de gado das vítimas. Em depoimento, o executor e a suspeita negaram os fatos.

Continua depois da publicidade

Ainda de acordo com o delegado Fábio Teixeira , a motivação do crime seria por herança. “Ela teria feito isso com a intenção de ficar com todo o patrimônio da família e usaria, inclusive, parte desses bens para pagar pela execução da mãe e irmão”, afirmou.

Outros crimes

Ainda de acordo com o titular da Delegacia de Jerônimo Monteiro, dias após o crime, o executor teria fugido para o Patrimônio da Penha, em Divino de São Lourenço e, nesse local, houve uma discussão com um homem identificado como André Moretti.

“Supostamente, ele teria dado em cima da mulher da vítima. Depois, foi para Caiana, em Minas Gerais, na posse de uma arma calibre 12, e, no município mineiro, onde André teria uma casa, o executou. Logo após André ser socorrido, o suspeito ateou fogo na casa da vítima”, relatou o delegado.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Os suspeitos vão responder por duplo homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Os dois homens foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro de Itapemirim e a mulher foi encaminhada ao Presídio Feminino de Cachoeiro de Itapemirim.

O caso

No dia 31 de março deste ano, a casa da família, que fica em Lajinha, zona rural de Jerônimo Monteiro, foi encontrada revirada. Quem chamou a polícia após encontrar a casa aberta com sinais de roubo foi a própria mandante do crime. No dia, ela afirmou à polícia que foi até o local depois de tentar contato com a mãe e o irmão, mas não conseguiu falar com nenhum dos dois.

Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.