Espírito Santo

Projeto Batuque Diferente seleciona estudantes de música para residência artística

COMPARTILHE
Promover a interação de um coletivo musical especializado na fusão de jazz e música brasileira com estudantes de percussão: este é o objetivo
Foto: Bruno Leão
56
Advertisement
Advertisement

Promover a interação de um coletivo musical especializado na fusão de jazz e música brasileira com estudantes de percussão: este é o objetivo principal da Residência Artística “Batuque Diferente”. Idealizada e produzida pelos integrantes do grupo Batida Diferente, a iniciativa vai selecionar três estudantes negros de percussão para participar da gravação de uma composição autoral, com produção e arranjo do professor de percussão Léo de Paula, que irá aplicar uma oficina de ritmos brasileiros e africanos aberta ao público em geral. O projeto foi selecionado pelo Edi tal 016/2020 – Coletivos Culturais, da Secretaria de Estado da Cultura (Secult-ES).

Advertisement
Continua depois da publicidade

As inscrições começam na próxima segunda-feira (06) e vão até 12 de junho, pela plataforma Google Forms, disponibilizada no Instagram do grupo Batida Diferente (@batidadiferente). Os candidatos e candidatas deverão inserir seus dados juntamente com um vídeo no YouTube, contendo uma performance musical de livre escolha. Podem se inscrever estudantes de percussão de projetos sociais e instituições públicas que sejam negros e que tenham de 18 a 29 anos.

Para o trompetista do grupo Batida Diferente, Ailton Junior, a Residência Artística “Batuque Diferente” se propõe a valorizar a formação profissional de músicos negros e despertar a habilidade da composição. “Uma palavra que define bem este projeto é conexão. Conexão com pessoas diferentes que compartilham do mesmo objetivo e com histórias parecidas e de gerações diferentes”, explica o músico. “A ideia é fazer a ju nção desses três jovens que irão participar, juntamente com o Léo de Paula e o Batida Diferente, da gravação de uma música inédita, um samba de minha autoria intitulado ‘Pro Rafa’”, conta o trompetista.

Após o período de inscrições, o material será avaliado por Ailton Junior e pelo percussionista Léo de Paula, que farão a seleção dos três estudantes classificados, de acordo com os critérios de Desempenho Técnico-Musical e Entrevista. O resultado será divulgado no dia 13 de junho pelo Instagram do grupo Batida Diferente. Os passos seguintes serão os ensaios presenciais, entre 14 de junho e 03 de julho, para afinar o entrosamento ent re os músicos e os estudantes de percussão, e a gravação da composição em um estúdio na Grande Vitória. O single será divulgado nas redes sociais do grupo Batida Diferente.

Samba

Continua depois da publicidade

Responsável pelo arranjo e produção, Léo de Paula afirma que a música “Pro Rafa” vai girar em torno das diferentes possibilidades rítmicas proporcionadas pelo samba. “Pretendo provocar os participantes a pensar sobre formas diferentes de tocar o samba, seja aproximando-o dos batuques ancestrais afro-diaspóricos seja dialogando com a estética do partido-alto e das rodas de samba, ou mesmo com as batucadas de carnaval”, explica o professor.

Ao final da Residência Artística, Léo de Paula vai ministrar uma oficina sobre ritmos brasileiros e africanos, aberta ao público em geral, na Estação Conhecimento de Serra, na Serra. Símbolo da identidade cultural brasileira, o samba será novamente o foco principal da atividade. “Irei trabalhar os conceitos, padrões rítmicos e referências teóricas sobre o samba e seus fazeres: do samba de caboclo ao samba-enredo, passando pelo samba-jazz e o partido-alto, visando inspirar os participantes nessa viagem pelo mais representativo dos nossos gêneros musicais”, adianta Léo de Paul a.

 

Advertisement

Programação da Residência Artística “Batuque Diferente”:

Continua depois da publicidade

De 06 a 12 de junho – Inscrições para estudantes de percussão negros, de 18 a 29 anos, interessados em participar do projeto, pela plataforma Google Forms, disponibilizada no Instagram do grupo Batida Diferente: @batidadiferente.

Os candidatos e candidatas deverão inscrever seus dados na plataforma e encaminhar um vídeo contendo uma performance musical própria, disponibilizada no YouTube;

13 de junho – Divulgação dos três estudantes negros selecionados, por meio do Instagram @batidadiferente;

De 14 de junho a 03 de julho – Ensaios com os músicos selecionados;

De 04 a 10 de julho – Gravação do single;

De 11 a 17 de julho – Oficina de ritmos brasileiros e africanos, ministrada pelo artista convidado Léo de Paula, na Estação Conhecimento de Serra, em Cidade Continental, na Serra. Data e horário serão confirmados em breve.

Agosto – Lançamento do single “Pro Rafa” nas redes sociais do Grupo Batida Diferente.

Projeto selecionado pelo Edital 016/2020 – Coletivos Culturais da Secretaria de Estado da Cultura (Secult-ES).

 

Sobre o grupo Batida Diferente:

O Grupo Batida Diferente foi criado em 2018 por quatro amigos e alunos do Projeto Vale Música Espírito Santo, com o objetivo de divulgar a música instrumental brasileira e internacional. Com influências de Roberto Menescal, Sidmar Vieira, João Bosco, João Donato, Daniel Alcântara, Miles Davis, Chet Baker, John Coltrane, entre tantos outros, o grupo é formado atualmente por Ailton Junior (trompete), Leonardo Rodrigues (contrabaixo), Igor Cowosque (violão/guitarra) e Allyson Silva (bateria).

São quatro músicos da nova geração do município da Serra, no Espírito Santo, que vêm construindo sua carreira musical com significativas experiências artísticas, tendo a oportunidade de se apresentarem nos principais festivais do Estado, entre os quais o Festival Internacional de Inverno de Música Erudita e Popular de Domingos Martins (2018), o Vila Velha Jazz & Blues Festival (2019) e o Marien Calixte Jazz Music Festival (2019).

Os integrantes do Grupo Batida Diferente participaram de masterclasses, oficinas e workshops com músicos renomados como Rafael Rocha (ES), Célio Paula (ES), Dino Rangel (RJ), José de Arimatéa (RJ), Toninho Horta (MG), Rui Carvalho (AM) e Ney Conceição (PA). Além disso, o líder do grupo, Ailton Junior, participou de residência artística com a Orquestra Sinfônica Brasileira em 2019, culminando com um concerto realizado no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Em 2018, o Grupo Batida Diferente foi contemplado no Edital de Coletivos Juvenis da Secretaria de Estado da Cultura (Secult-ES), realizando quatro concertos didáticos para 580 alunos em escolas da Rede Pública da Serra.

Com a Vale Música Jazz Band, da qual são integrantes, apresentaram-se ao lado de grandes nomes como o maestro Gilson Peranzzetta, o trompetista do grupo Afrojazz, Eduardo Santana, o cantor norte-americano JJ Jackson e as cantoras Alma Thomas, Indiana Nomma, Ekaterina Bessmèrtnova, Nicole Falcão, Amélia Barretto e Tamires Casotto; ainda com a Vale Música Jazz Band, tocaram nos principais teatros de Vitória e participaram de diversos festivais como o Festival de Inverno de Música Erudita e Popular de Domingos Martins, o Festival Fábrica.Lab, o Festival de Jazz & Blues do Museu Vale, o Festival I Love Jazz, em Belo Horizonte (MG), e o Festival de Inverno de Ouro Preto (MG).

Nos últimos dois anos, diante da pandemia da Covid-19, o grupo manteve a rotina de ensaios, estudos de novos arranjos, pesquisas e criações artísticas, utilizando-se de ferramentas tecnológicas para dar sequência a suas atividades.

 

SIGA O GRUPO BATIDA DIFERENTE NAS REDES:

Instagram: @batidadiferente

Facebook: https://www.facebook.com/grupobatidadiferente

Advertisement