Política Nacional

Impasse no RS trava anúncio de Tasso como vice de Simone Tebet

COMPARTILHE
8
Advertisement
Advertisement

Último passo antes do PSDB e MDB selarem o acordo na eleição presidencial, a articulação entre os dois partidos no Rio Grande do Sul travou e os tucanos estão segurando o anúncio do senador Tasso Jereissati (CE) como vice na chapa presidencial da senadora Simone Tebet (MS). Simone está sendo pressionada a entrar em cena e ir a Porto Alegre para solucionar o impasse.

Continua depois da publicidade

O primeiro movimento esperado é convencer o ex-senador Pedro Simon, decano do MDB, a dar uma declaração de apoio ao ex-governador Eduardo Leite, o que abriria caminho para a desistência do deputado estadual Gabriel Souza, pré-candidato do MDB ao Palácio Piratini.

No fim da tarde de ontem, o MDB gaúcho divulgou nas redes sociais uma postagem na qual relatou que o PSDB local formalizou o pedido de apoio da sigla para Leite. Houve reunião em Porto Alegre com dirigentes das duas siglas. No texto, porém, o diretório local do MDB frisou que o partido lançou candidatura própria nas últimas dez eleições, e venceu quatro delas.

Advertisement

GERAÇÕES

Continua depois da publicidade

Há no Rio Grande do Sul um choque de gerações no MDB. Os “cabeças brancas” do partido já sinalizaram que aceitam apoiar Leite e estão envolvidos na pré-campanha de Simone Tebet, mas resistem em pressionar Souza com receio de rachar o partido e se indispor com a militância.

O partido hoje está à frente da prefeitura de Porto Alegre.

Os “cabeças pretas” do MDB gaúcho são liderados por Souza, que tem 38 anos e comanda o diretório estadual após vencer o deputado da velha guarda Alceu Moreira (RS) em uma disputa interna.

Continua depois da publicidade

Com as tratativas travadas, Leite afirmou em entrevista ao jornal O Globo que o impasse “ameaça” o apoio do PSDB a Simone Tebet. “Não se trata apenas de uma contrapartida por um apoio político. Trata-se de uma demonstração clara de um entendimento num projeto nacional”, disse o ex-governador.

PRESENÇA

Aliados de Simone Tebet no MDB gaúcho e tucanos cobram que a senadora assuma pessoalmente a articulação e viaje a Porto Alegre para encontrar representantes das duas alas do partido, mas ela resiste. Por ora, a pré-candidata tem feito apenas gestos à distância.

“A política regional tem seu tempo, e ele vai mostrar que é muito importante essa junção do PSDB com o MDB. Lá (no RS) em um processo diferente do passado, não são apenas duas grandes forças políticas competindo, mas quatro. Se duas delas não se unirem, isso fragiliza ambas. Confio nas grandes lideranças do MDB, e faço aqui uma referência especial ao meu querido amigo e irmão Pedro Simon, que sempre norteou os meus passos”, disse a pré-candidata ontem após um evento em Brasília.

Simon, porém, resiste em fazer uma declaração pública a Leite, embora seja um entusiasta da senadora. Segundo pessoas próximas, o ex-senador teme se indispor com os emedebistas e espera que Gabriel Souza tome a iniciativa e aceite ser vice na chapa de Leite.

Em outra frente, a retaliação do União Brasil ao PSDB no plano nacional ameaça deixar Leite também sem o apoio do partido, que é detentor do maior tempo de TV por ter a maior bancada.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Pedro Venceslau
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here