Grande Vitória

Lixo urbano da Grande Vitória pode virar energia elétrica para mais de 210 mil residências

COMPARTILHE
A região metropolitana da Grande Vitória aparece com destaque em um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Recuperação
186
Advertisement
Advertisement

A região metropolitana da Grande Vitória aparece com destaque em um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (ABREN) sobre as regiões com maior potencial de geração de energia a partir do lixo urbano.

Continua depois da publicidade

De acordo com o estudo, a região tem capacidade para receber três usinas de recuperação energética (URE) com cerca de 20 MW de potência instalada cada, totalizando um potencial de 60 MW e capacidade de produção de energia na ordem de 480 mil MWh/ano, suficientes para abastecer mais de 210 mil residências. A iniciativa, que envolveria investimentos de superiores a R$ 2 bilhões, pode gerar 3,5 mil postos de trabalho diretos e indiretos na cadeia de valor dos empreendimentos. Além disso, estima-se uma arrecadação de R$ 2,5 bilhões em tributos durante o período de operação da usina, cuja vida util é da ordem de 40 anos.

Segundo Yuri Schmitke, presidente da ABREN, “esse tipo de empreendimento, que oferece diversos benefícios ambientais, também é considerado mundialmente a solução mais efetiva para resolver o problema dos resíduos sólidos urbanos”. Com pouco mais de 2 milhões de habitantes, a região metropolitana da Grande Vitória produz cerca de 2,4 mil toneladas de lixo por dia, que somam 880 mil toneladas por ano.

Uma URE pode ser viabilizada por meio de um consórcio entre as cidades que constituem a Região Metropolitana da Grande Vitória, como prevê novo Marco Legal do Saneamento (Lei nº 14.026/2020). Durante a vida útil da usina, a cidade pode evitar a emissão de 60 milhões de toneladas de CO2, além de recuperar mais de 900 mil toneladas de metais ferrosos e não ferrosos, sendo que a quase totalidade das cinzas poderiam ser reaproveitados pela construção civil e pavimentação.

Continua depois da publicidade

Além disso, o tratamento adequado do lixo evitaria gastos da ordem de R$ 1 bilhão para a saúde pública, relacionados a doenças causadas pela exposição dos cidadãos a condições insalubres de lixões, além de mitigar os gastos com danos ambientais provenientes do armazenamento inadequado de resíduos, estimados em R$ 1,5 bilhão.

O projeto de uma URE colabora ainda com a economia circular, pois auxilia na gestão mais eficiente dos recursos naturais existentes e otimiza o ciclo de reciclagem, contribuindo também com os coletores de materiais recicláveis.

Sobre a ABREN:

A Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (ABREN) é uma entidade nacional, sem fins lucrativos, que tem como missão promover a interlocução entre a iniciativa privada e as instituições públicas, nas esferas nacional e internacional, e em todos os níveis governamentais. A ABREN representa empresas, consultores e fabricantes de equipamentos de recuperação energética, reciclagem e logística reversa de resíduos sólidos, com o objetivo de promover estudos, pesquisas, eventos e buscar por soluções legais e regulatórias para o desenvolvimento de uma indústria sustentável e integrada de tratamento de resíduos sólidos no Brasil.

Advertisement
Continua depois da publicidade

A ABREN integra o Global Waste to Energy Research and Technology Council (Global WtERT), instituição de tecnologia e pesquisa proeminente que atua em diversos países, com sede na cidade de Nova York, Estados Unidos, tendo por objetivo promover as melhores práticas de gestão de resíduos por meio da recuperação energética e da reciclagem. O Presidente Executivo da ABREN, Yuri Schmitke, é o atual Presidente do WtERT – Brasil. Conheça mais detalhes sobre a ABREN acessando o siteLinkedinFacebookInstagram e YouTube da associação.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here