Cidades

Irmãs se reencontram em Guaçuí depois de 58 anos sem se verem

COMPARTILHE
E, agora, as irmãs se reencontram, numa tarde de muita emoção, nesta sexta-feira (13), quando parte da família, acompanhando a irmã
Fotos e vídeo Marcos Freire
1855
Advertisement
Advertisement

Elas são irmãs por parte de pai e não se viam há 58 anos, depois que uma delas foi para o Rio de Janeiro. E, agora, as irmãs se reencontram, numa tarde de muita emoção, nesta sexta-feira (13), quando parte da família, acompanhando a irmã que mora em Guaçuí, estava na rodoviária da cidade esperando a outra irmã que chegava depois de tanto tempo.

Continua depois da publicidade

Doraci Lopes Ferreira – Dona Dorinha, com 89 anos, estava ansiosa e emocionada, na rodoviária de Guaçuí, esperando por sua irmã Joanaci da Silva Cunha, 73 anos. Ela estava acompanhada de duas de suas filhas, Gesane Ferreira de Paula, 56 anos, e Ivone Lopes Ferreira, 61 anos, entre outros membros da família.

Aliás, família é o que não falta. Dona Dorinha – que mora em Guaçuí desde 1950 – teve 15 filhos (10 estão vivos). “Fui mãe pela primeira vez com 19 anos e fui mãe até os 48 anos, quando nasceu meu último filho, sem precisar fazer qualquer cirurgia, graças a Deus”, conta. Segundo sua filha, Ivone, só da parte de sua mãe, Dona Dorinha, a família conta com 320 pessoas, aproximadamente, entre filhos, netos e bisnetos.

Continua depois da publicidade

Gesane explica que as irmãs se reencontram, depois que conseguiram fazer contato com um tio, irmão de sua mãe, também no Rio de Janeiro, chamado Otacir Marçal, ex-tenente do Exército que, infelizmente, faleceu há 20 dias. “Ao fazermos contato com ele, descobrimos onde estavam duas irmãs da minha mãe, nossas tias, Joanaci e Irene que não pode vir a Guaçuí, infelizmente”, narra.

Dona Joanaci chegou e desceu do ônibus antes das 16 horas e foi direto abraçar a irmã. Ela estava acompanhada de uma de suas filhas, Márcia Silva Cunha de Massena, 53 anos. “Somos seis irmãos, sendo cinco mulheres e um homem”, relata Márcia.

Elas estavam ansiosas para conversar em como foi a vida nesses 58 anos. Mas pararam para bater um papo com a reportagem do Aqui Notícias. As duas estavam emocionadas e não escondiam a felicidade de estarem juntas de novo, depois de tanto tempo.

Advertisement
Continua depois da publicidade

E, agora, as irmãs se reencontram, numa tarde de muita emoção, nesta sexta-feira (13), quando parte da família, acompanhando a irmã

Dona Joanaci saiu de Guaçuí quando tinha 15 anos e não tinha palavras para expressar a emoção. “Nossa, eu nem conhecia mais, porque 58 anos é muito tempo”, disse, sendo interrompida por dona Dorinha: “sua fisionomia é de dona Matilde, sua avó”, observou, dizendo que estava “um pouquinho” emocionada. Para depois as duas falarem ao mesmo tempo: “é muita felicidade”, para não se desgrudarem mais.

“O coração está aos pulos e, agora, é matar as saudades e conhecer os sobrinhos, a família que não conheço”, disse dona Joanaci, abraçada à irmã. Depois todos seguiram para a casa de uma das filhas de dona Dorinha, rumo ao começo de uma nova fase de suas vidas.

Veja abaixo o vídeo do momento do reencontro das duas irmãs.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here