Economia

Ásia: bolsas fecham em alta, com aparente busca de barganhas após perdas recentes

COMPARTILHE
10
Advertisement
Advertisement

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta sexta-feira, 13, com investidores possivelmente em busca de barganhas após as perdas recentes que ações da região sofreram em meio a preocupações com a inflação elevada e seus efeitos na economia global.

Continua depois da publicidade

O índice Hang Seng liderou os ganhos na Ásia, com alta de 2,68% em Hong Kong, a 19.898,77 pontos, enquanto o japonês Nikkei subiu 2,64% em Tóquio, a 26.427,65 pontos, o sul-coreano Kospi avançou 2,12% em Seul, a 2.604,24 pontos, e o Taiex registrou ganho de 1,38% em Taiwan, a 15.832,54 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto se valorizou 0,96%, a 3.084,28 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve alta de 0,51%, a 1.931,45 pontos.

Advertisement

Na semana, os mercados asiáticos foram pressionados por temores com a persistência da inflação alta, principalmente nos EUA, que deverá levar o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a continuar elevando juros de forma agressiva nos próximos meses.

Continua depois da publicidade

Na quinta-feira, o presidente do Fed, Jerome Powell, que teve seu segundo mandato confirmado no Senado americano, admitiu que não será fácil garantir um “pouso suave” da economia dos EUA diante de pressões inflacionárias.

A desaceleração da China após a adoção da política de “tolerância zero” contra a covid-19 também preocupa, embora a cidade de Xangai tenha mostrado avanços no controle de casos da doença.

Na Oceania, o dia também foi de recuperação da bolsa australiana. O S&P/ASX 200 avançou 1,93% em Sydney, a 7.075,10 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Continua depois da publicidade

Sergio Caldas
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here