Cidades

Adolescente é destaque na produção de suculentas e cactos em Vargem Alta

COMPARTILHE
O sonho de estudar em uma faculdade fez com que Calebe Arantes Abílio despertasse cedo para o empreendedorismo. O adolescente de 13 anos cultiva
1081
Advertisement
Advertisement

O sonho de estudar em uma faculdade fez com que Calebe Arantes Abílio despertasse cedo para o empreendedorismo. O adolescente de 13 anos cultiva, em uma estufa no quintal de casa, mais de 200 tipos de suculentas e cactos. Ele vende toda a produção os domingos, há quase um ano, em um restaurante em Vargem Alta, para juntar dinheiro e pagar uma faculdade no futuro.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Morador da localidade de Vila Esperança, no interior do município, o adolescente disse que também comercializa suas plantas em sua casa, e que variam de preços entre R$ 3,00 a R$ 150,00. O dinheiro arrecadado é guardado em uma poupança e também é investido no seu negócio, segundo ele.

“No inverno as pessoas vêm mais para cá, para a região montanhosa. No verão eu vendo menos. Tem dado um dinheiro razoável, que eu guardo em uma conta que meus pais fizeram para mim no banco”, disse.

Calebe disse, ainda, que seu amor pelas suculentas e cactos começou com o incentivo de sua avó. “Minha avó tinha uma mudinha de cactos e me deu. Daí eu fui cuidando, pegando a experiência de cuidar. Depois comprei algumas mudas de suculentas e o negócio só foi crescendo”.

Continua depois da publicidade

O adolescente revelou também que sua estufa tem até nome: Abbasuculentas. “A palavra ‘abba’ significa pai. Escolhi o nome pois se não fosse o meu pai do céu essa ideia não teria ido para frente e meu maior apoiador é meu pai terreno”, conta.

Na parte da manhã, Calebe estuda o 7º ano em uma escola da região. No período da tarde, se dedica para fazer suas tarefas escolares, brincar e cuidar dos seus cactos. “Não tem segredo. Eu mesmo cuido de todas as minhas plantinhas. É irrigar, podar, adubar. Faço tudo com muito carinho”, pontua.

Adolescente é o orgulho dos pais

Advertisement
Continua depois da publicidade

Orgulhoso, o pai do Calebe, Mario Sérgio Abílio, de 49 anos, revelou que o filho tem potencial. “Ele sabe conversar com as pessoas, é obediente, carinhoso, tem opinião própria, é companheiro. Está descobrindo novas oportunidades de crescer”, garante.

A mãe, a dona de casa Diciula Arantes Cardoso Abílio, 41 anos, contou que a família sempre o incentivou. “Desde novinho trabalhamos essas questões na vida dele e assim temos o conduzido e vendo-o crescer em sabedoria, na obediência, no amor pelo senhor Jesus, em se importar com o outro, no cuidado e responsabilidades com os estudos, com suas plantas, nos treinos de teclado, violino e judô”, conta.

“Pode parecer que ele está sempre muito atarefado e não pode brincar como uma criança, mas não é bem assim. Contudo, as responsabilidades dele vêm primeiro e geralmente a tarde ele está livre para brincar. Seu passatempo favorito são os legos, joguinho no celular e gosta muito de assistir ao Manual do Mundo, fazendo com ele aprenda muitas coisas e descubra novas experiências, além de ter o hábito da leitura”, destacou a mãe.

Em setembro de 2021, Calebe participou da Semana do Empreendedor no município, organizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social em parceria com o Sebrae, onde foi destaque.

Prata em Matemática

Além de se destacar no cultivo e na comercialização de suculentas e cactos em Vargem Alta para juntar dinheiro para pagar sua faculdade no futuro, o adolescente Calebe, é nota 10 na sala de aula. Segundo sua mãe, Diciula, ele já coleciona alguns prêmios, dentre eles um na 16ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP.

“Na escola ele é nota 10. Gosta muito de ler, presta a atenção nas aulas e suas notas são sempre muito boas. Mês passado ficamos sabendo do resultado da prova da OBMEP, e ele tirou prata em todo o Estado”, disse a dona de casa.

O pai, o Mario Sérgio Abílio, 49, afirmou que Calebe é esforçado. “Ele tem se esforçado e tem conquistado ótimos resultados na escola”, continua.

“Quero agradecer a meu pai, que me apoia e me incentiva a não desistir e minha mãe, me dá ótimas ideias para meu negócio crescer. Também, os donos do restaurante que disponibilizam o espaço para a venda das minhas plantas sem cobrar nada, Dag Henrique Gabler, que me incentivou quando ninguém via a possibilidade de um fluxo maior de vendas e o Saulo Roberto, que me inspira e me fornece conhecimento sobre o cultivo de suculentas”, completa o adolescente.

Advertisement