Economia

Workshop reúne mais de 50 especificadores de rochas ornamentais

COMPARTILHE
Workshop reúne mais de 50 especificadores de rochas ornamentais
Foto: Sindirochas/divulgação
76
Advertisement
Advertisement

Como parte do Programa + Negócios, da Federação das Indústrias do Espírito Santo, a Findes, o Sindirochas, o Sebrae, o Centrorochas e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-ES) realizaram no dia 27 de janeiro, o Workshop Aplicação de Rochas Ornamentais. O evento contou com a participação de mais de 50 especificadores de rochas entre arquitetos, designers de interiores e amantes das pedras brasileiras.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Os presidentes do Sindirochas, Ed Martins, e do Centrorochas, Tales Machado, ressaltaram sobre a importância do evento. “Esse diálogo entre as entidades e os especificadores é um desejo antigo do Sindirochas. Tenho certeza de que este será o primeiro de muitos outros que virão”, adiantou Ed. “O setor entrou em uma nova fase com a parceria firmada entre o Centrorochas e a ApexBrasil para condução de um projeto incrível de promoção das rochas brasileiras. Este alinhamento com quem realmente especifica as rochas, que são os arquitetos e designers, faz parte do nosso escopo. Esse evento faz parte desta mudança de rota”, concluiu Tales.

O presidente do CAU-ES, Heliomar Venâncio, afirmou que a relação mais próxima dos especificadores com as empresas do setor é de grande importância. “Essa aproximação é primordial. Esta relação traz confiança, agilidade nos retornos, conhecimento das novidades e inovações, como um corte diferenciado, e relacionamento pós-venda”.

Destaque internacional quando o assunto são as rochas ornamentais, a diversidade de produtos brasileiros foram destaque, principalmente com relação à representatividade do Espírito Santo, maior produtor e exportador do país. Em sua apresentação, o arquiteto Renato Paldês falou sobre a extração, produção, formas de aplicação e as inovações possíveis com o avanço da tecnologia no setor. “Com a tecnologia disponível hoje, o céu é o limite quando falamos sobre as formas de utilização das rochas”, afirmou enquanto mostrava exemplos de materiais recortados em máquinas dotadas da tecnologia CNC (controle numérico computadorizado) que possibilitam “recortes e formas inimagináveis no passado, como desenhos em rochas e relevo 3D”.

Rochas no urbanismo

Continua depois da publicidade

A empresária e designer, Araciene Pessin, abordou sobre o uso das rochas em obras públicas. “A rocha é o material de construção mais antigo e mais durável da humanidade. Ela possui resistência e beleza que não se reproduz industrialmente”, pontuou ao demonstrar várias formas de utilização dos produtos em construções urbanas como revestimento do piso com placas maciças em granito destinadas as áreas de alto tráfego, meios-fios maciços trazendo beleza e durabilidade para os espaços, bancos maciços e todo mobiliário urbano. “Monumentos em granito, grelhas maciças de escoamento de água, degraus maciços podendo chegar a 16 cm de espessura, enfim, um conjunto de produtos que permitem o uso nos projetos urbanísticos e que contribuem para atender a necessidade das pessoas na mobilidade urbana”, afirmou. Durante sua apresentação, ela ainda citou três cidades brasileiras que têm sido exemplos em mobilidade urbana utilizando rochas ornamentais: Salvador, São Paulo e Fortaleza.

 

Advertisement
Advertisement