Cidades

Matriz Velha recebe objetos do primeiro cachoeirense ordenado Bispo no Espírito Santo

COMPARTILHE
Nesta quinta-feira (13), a Igreja Nosso Senhor dos Passos, a Matriz Velha, recebeu objetos e documentos que pertenciam ao primeiro cachoeirense
Foto: Alissandra Mendes
597
Advertisement
Advertisement

Nesta quinta-feira (13), a Igreja Nosso Senhor dos Passos, a Matriz Velha, recebeu objetos e documentos que pertenciam ao primeiro cachoeirense ordenado Bispo no Espírito Santo e o segundo nomeado na Diocese Capixaba, Dom Fernando Monteiro. Ele era filho do coronel Francisco Monteiro, proprietário da fazenda onde foi edificada a sede da igreja, no bairro Independência.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Os objetos e documentos foram doados à igreja pelo historiador e professor, João Eurípedes Franklin Leal, nascido em Dores do Rio Preto, ele passou a infância em Cachoeiro de Itapemirim e atualmente residente no Rio de Janeiro. A expectativa é que o material fique exposto em um Memorial, que será construído na igreja.

De acordo com o pároco da Igreja Nosso Senhor dos Passos, padre Evaldo Ferreira, uma área já está sendo preparada para que os visitantes possam ter acesso aos materiais. “O professor Eurípides foi guardião até hoje desses materiais, pertencentes ao Dom Fernando, filho de quem pensou essa igreja: coronel Francisco Monteiro”, comenta

“Nosso objetivo é criar para o próximo ano um projeto de um Memorial, para expor essas peças, para que as pessoas que venham visitar a igreja também possam conhecer parte dessa história da figura extraordinária, que foi Dom Fernando, o segundo Bispo da Diocese do Espírito Santo e o primeiro Bispo filho da cidade de Cachoeiro de Itapemirim”, comenta padre Evaldo.

Continua depois da publicidade

Para a secretária de Turismo de Vitória e amiga do professor Eurípedes, Luzia Toledo, as peças são importantes não só para Cachoeiro de Itapemirim, mas para o Espírito Santo e para o Brasil. “É história da nossa igreja. Essa área era da família Monteiro Lindemberg e foi aqui que foi edificada essa igreja pelo pai de Dom Fernando”, pontua.

“Esses documentos foram passados ao professor João Eurípides Franklin Leal, que é meu amigo de vida, de faculdade e nos acompanhamos sempre. Os pertences foram passados ao professor pela sobrinha de Dom Fernando, a escritora Maria Stella de Novaes. Durante uma conversa, ele me que esses documentos tinham que vir para a igreja Matriz Velha”, ressalta Luzia.

Matriz Velha faz parte do roteiro turístico de Cachoeiro

Nesta quinta-feira (13), a Igreja Nosso Senhor dos Passos, a Matriz Velha, recebeu objetos e documentos
Foto: Alissandra Mendes

A Igreja Nosso Senhor dos Passos, a Matriz Velha, faz parte do roteiro turístico e cultural de Cachoeiro de Itapemirim. O espaço recebe visitantes diariamente e chama a atenção pela beleza e pela história.

Advertisement
Continua depois da publicidade

“A igreja é incluída nesse roteiro turístico religioso de Cachoeiro de Itapemirim, e estamos preparando pessoas para orientar os turistas e visitantes, produzindo um material para ser entregue para esses visitantes, para que possam conhecer detalhes arquitetônicos do prédio. Sabemos que a igreja Matriz Velha faz parte da história de Cachoeiro de Itapemirim e da religiosidade da cidade. É uma igreja que tem ligação afetiva com as pessoas, e queremos conversar o patrimônio e manter também no coração das pessoas essa história”, completa Padre Evaldo.

Quem foi o primeiro cachoeirense Bispo

Nesta quinta-feira (13), a Igreja Nosso Senhor dos Passos, a Matriz Velha, recebeu objetos e documentos que pertenciam ao primeiro cachoeirense

Dom Fernando de Souza Monteiro nasceu em Cachoeiro de Itapemirim no dia 22 de setembro de 1867 e faleceu aos 48 anos, no Rio de Janeiro e, 23 de março de 1916.

Filho do Capitão Francisco de Souza Monteiro, irmão de Jerônimo Monteiro, governador do Espírito Santo (1908 a 1912), e irmão de Bernardino Monteiro, também governador do Estado do ES entre 1916 a 1920.

Dom Fernando foi ordenado sacerdote em 22 de março de 1890, e eleito Bispo em 21 de agosto de 1901, sendo ordenado em 13 de outubro e assumiu a diocese do Espírito Santo em 9 de março de 1902.

Foi autor de “A devoção do Espírito Santo e de Nossa Senhora da Penha”, em 1901, e “O Papa e a Encíclica et Supremi Apostalatus Cathedra”, em 1904.

Veja o vídeo da entrega dos objetos!

Advertisement