Revelar Cachoeiro

De Itabira ao Pico do Itabira: os homens das letras brilham em Minas e no Espírito Santo

COMPARTILHE
Drummond e Braga
Fotos: divulgação
157
Advertisement
Advertisement

Itabira é uma palavra de origem tupi e significa pedra que brilha. A união das palavras Itá (pedra) e byra (que brilha) nomearam o famoso pico em Cachoeiro de Itapemirim e também o pequeno município que fica Quadriláterro Ferrívero, em Minas Gerais. Essas duas cidades têm mais em comum: Itabira e Cachoeiro são berços de grandes nomes da literatura brasileira. Carlos Drummond de Andrate e Rubem Braga talvez sejam os verdadeiros brilhos dessas localidades.

Continua depois da publicidade

Na cidade mineira, o turismo cultural em torno do poeta é levado ao pé da letra. Lá há a Casa de Drummond, um sobrado de dois pavimentos construído no século 19 e que foi a residência do poeta Carlos Drummond de Andrade em sua infância. Atualmente, é roteiro do Museu de Território Caminhos Drummondianos e espaço para realização de exposições, oficinas e espetáculos musicais. A Casa de Drummond também abriga o Programa Drummonzinhos e o Projeto Tecitura.

Já o Museu de Território “Caminhos Drummondianos” é formado por quarenta e quatro placas-poemas de Carlos Drummond de Andrade, que traduzem muito da cidade. A primeira placa foi inaugurada em 13 de dezembro de 1997 com o poema “A Alfredo Duval”. “As placas-poema dos caminhos Drummondianos referenciam fatos, locais e personagens que fizeram parte da vida de Drummond em Itabira ou nas lembranças de sua terra natal. Um aspecto importante dos Caminhos Drummondianos é possibilitar um contato público com a poesia Drummondiana ao mesmo tempo que mostra a preservação do patrimônio histórico. Este atrativo também reforça a importância de Itabira como Polo de Turismo Cultural”, segundo a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade.

Já no Espírito Santo, a casa de Rubem Braga guarda os segredos que fizeram o escritor ganhar mentes e corações com suas crônicas. Nascido em Cachoeiro de Itapemirim em 12 de janeiro de 1913, Braga viveu no antigo casarão de cor verde de estilo português. Conhecido como a “Casa dos Braga”, o imóvel construído no início do século passado atualmente funciona como Centro Cultural. O nome Rubem Braga ainda inspirou a criação de uma bienal literária, a maior realizada no Sul do Estado. O evento não aconteceu em 2020 por conta da pandemia do novo coronavírus.

Continua depois da publicidade

“Rubem Braga, apesar de ser cachoeirense, transformou-se num cidadão do mundo pela importância cultural e histórica. Embora o aniversário de sua morte seja uma lembrança triste, também serve para nos lembrar o quanto somos privilegiados por ter contato com o legado deixado por esse grande escritor. Viva Rubem Braga!”, comenta a secretária municipal de Cultura e Turismo de Cachoeiro, Fernanda Martins.

Casas de grandes nomes das letras, essas cidades merecem todo afeto e visita de turistas. Como escreveu Drumond, “Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente. Arrume a sua casa todos os dias… Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela… E reconhecer nela o seu lugar”.

O projeto Revelar Cachoeiro de Itapemirim é uma iniciativa do AQUINOTICIAS.COM e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim, Sebrae e o patrocínio da Selita, Sicoob e Unimed Sul Capixaba.

Advertisement
Continua depois da publicidade

CLIQUE AQUI E ACOMPANHE A SÉRIE COMPLETA DE REPORTAGENS DO REVELAR CACHOEIRO

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here