Política Nacional

Para Guedes, iniciativa de Bolsonaro colocou 'tudo de volta aos trilhos'

COMPARTILHE
14
Advertisement
Advertisement

Um dia depois de o presidente da República, Jair Bolsonaro, divulgar uma nota em que recuou de ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro da Economia, Paulo Guedes, apostou suas fichas na pacificação do país e na continuidade das discussões de reformas. “A iniciativa do presidente Jair Bolsonaro ontem colocou tudo de volta aos trilhos”, afirmou Guedes, em evento virtual do Credit Suisse.

Continua depois da publicidade

De acordo com o ministro, a manifestação divulgada na quinta-feira deixou claro que Bolsonaro está jogando dentro das regras e que qualquer excesso verbal foi um “mal entendido”. “O presidente não sinalizou em nenhum momento que descumpriria as regras democráticas. Nosso presidente merece respeito, ganhou a eleição com mais de 60 milhões de votos”, afirmou. “Nunca aposte contra a democracia brasileira, vamos sempre surpreender.”

Guedes disse ainda confiar na cooperação do Congresso e do STF e disse que já tinha reuniões agendadas com os presidente da Corte, da Câmara e do Senado quando as “celebrações” do dia 7 de setembro “causaram grande ruído político”.

Advertisement

O ministro minimizou o discurso antidemocrático e os ataques ao Supremo Tribunal Federal de Bolsonaro. Ainda comentou sobre a Carta à Nação do presidente da República e disse que foi uma declaração contra qualquer mal entendido para esclarecer que não estava convocando ninguém contra o STF, o Congresso ou qualquer Poder Constituído. “O presidente pode ter ultrapassado os limites no discurso, mas não nos atos.”

Continua depois da publicidade

Guedes também disse que as pessoas são humanas, cometem erros e às vezes ultrapassam “seu território”, mas a beleza do Brasil é de que quando isso ocorre outro Poder reage e todos voltam a seus lugares.

O ministro reconheceu que o nível de ruído está alto atualmente no Brasil, mas disse que o que ocorreu nos últimos dias foi a manifestação pacífica de milhões de pessoas e a celebração da democracia.

Segundo o ministro, a população que foi às ruas nos protestos a favor do presidente estavam pedindo pela liberdade de expressão e manifestando que “há pessoas na prisão por criticar o STF”, em referências aos inquéritos de fake news. Mas negou que manifestações sejam por violência ou contra a democracia. “Pessoas manifestam sua opinião sobre Poderes, outra coisa é convocar violência contra Poderes”, disse, citando também que houve muito ruído eleitoral nos EUA.

Continua depois da publicidade

Lorenna Rodrigues e Thais Barcellos
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here