Economia

UBS prevê queda nos preços de minério de ferro e rebaixa Rio Tinto

COMPARTILHE
11
Advertisement
Advertisement

Não faz muito tempo que o grande debate nos mercados era sobre se haveria um novo superciclo das commodities. Mas analistas do UBS agora sinalizaram o oposto, rebaixando a ação da gigante da mineração Rio Tinto de neutro para venda, sob a justificativa de que o preço minério de ferro está se aproximando de um ponto de inflexão.

Continua depois da publicidade

As cotações subiram de US$ 80 a tonelada em 2019 para cerca de US$ 220, mas analistas liderados por Myles Allsop projetam que elas podem cair até 50%. Problemas de oferta no Brasil, primeiro causados pelo desastre da barragem de Brumadinho (MG) e depois exacerbados pela pandemia de covid-19, estão sendo revertidos, de acordo com os especialistas do banco suíço.

Além disso, a China atua para conter a valorização das commodities, incluindo o aço, vendendo reservas domésticas e pressionando agentes do setor a não elevarem os preços. Os analistas apontam ainda que os estoques de minério de ferro no país asiático estão em alta.

Advertisement

De acordo com a análise, à longo prazo, a capacidade latente das principais empresas do setor, incluindo Vale, Rio Tinto e BHP, aumentará ainda mais a oferta. A China também está propondo maior uso de sucata de aço e a construção de uma rodovia na Guiné deve tornar o país africano um exportador de minério de ferro até o fim da década.

Continua depois da publicidade

Por volta das 8h30 (de Brasília), a ação da Rio Tinto caía 1,36% na Bolsa de Londres. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here