Política Nacional

Franco: falta de consenso sobre cláusula da Pfizer foi do Ministério da Economia

COMPARTILHE
14
Advertisement
Advertisement

O ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde Elcio Franco atualizou versão que havia dado mais cedo e afirmou que a falta de consenso sobre cláusulas apresentadas pela Pfizer para o fornecimento de vacinas partiu do Ministério da Economia.

Continua depois da publicidade

Diante do pedido do vice-presidente da comissão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), para que fosse convocado à comissão o ministro da Economia, Paulo Guedes, Franco esclareceu que não tratou do assunto com o ministro, mas sim com auxiliares e técnicos da pasta.

Mais cedo, durante depoimento, Élcio havia afirmado que a falta de consenso se dava, em especial, sobre os dispositivos do contrato que tratavam de quem deveria partir a iniciativa uma vez que deveria ser convertida em lei, se do Executivo federal ou do Legislativo.

Advertisement

Franco disse também não ter conhecimento dos primeiros contatos da farmacêutica Pfizer com o governo brasileiro para o fornecimento de vacinas contra a covid-19. Segundo Randolfe, 90% – das 81 correspondências da farmacêutica ao governo brasileiro enviadas desde 17 de março – não tiveram resposta.

Continua depois da publicidade

Segundo Franco, seu primeiro contato com a empresa aconteceu em 6 de agosto. De acordo com documentos entregues pela farmacêutica ao colegiado, até essa data haviam sido encaminhados 25 e-mails para o Ministério da Saúde.

Pedro Caramuru e Daniel Weterman
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here